Em Montemor-o-Velho, o Festival do Arroz e da Lampreia vai a casa

Gastronomia, receitas, património e uma Rota do Arroz Carolino são alguns dos ingredientes na ementa do festival, servido à moda do dia (em casa), entre 19 e 28 de Março.

takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Nelson Garrido
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Nelson Garrido
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Nelson Garrido
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
DR/MMV
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
DR/MMV
cozinha tailandesa
Fotogaleria
DR/MMV
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
DR/MMV
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Arroz doce DR/MMV
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Pinhas doces DR/MMV
Pastel de Tentúgal
Fotogaleria
Queijadas DR/MMV
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Castelo de Montemor-o-Velho DR/MMV
takeaway,restaurantes,montemorovelho,alimentacao,gastronomia,fugas,
Fotogaleria
Montemor-o-Velho DR/MMV

Vem com paixões e ódios colados à pele, à conta do sabor peculiar, mas para os apreciadores já faz parte do calendário de degustações a cumprir. A lampreia do Mondego volta a dar as mãos ao arroz carolino da região para empratar a 19.ª edição da festa dedicada aos sabores do campo e do rio. 

São nove os restaurantes que participam na iniciativa, todos com refeições em regime de take-away ou de entrega ao domicílio: Casa Arménio, Casa do Benfica, Escondidinho, Encosta de São Pedro, Marinheiro, O Califa, Patinhos, Pimpão e Refúgio do Paúl. A estes juntam-se outras entidades que dão a conhecer mais iguarias da região – numa premissa conjunta de Valorizar o que é nosso –, como o mel, o azeite, as azeitonas ou a doçaria conventual (lista completa aqui).

Na carta de tentações, a acompanhar a presença óbvia do arroz de lampreia, podemos encontrar o arroz de grelos, o arroz de pato, o arroz malandro ou, para adocicar a boca no remate da refeição, o cremoso arroz doce.

A degustação da tradição é servida num prato que, nas palavras da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, “transborda esperança, futuro e inovação” e vem guarnecida com um programa que celebra “a memória e a riqueza gastronómica de um território inesquecível”, ao mesmo tempo que “abraça a tecnologia e, em segurança, partilha com os visitantes do certame, na comodidade das suas casas, as iguarias gastronómicas, a oferta turística e patrimonial”.

Esta é, aliás, uma das novidades da edição que aposta (quase) tudo na reinvenção no ano em que integra A Million Food Stories de Coimbra - Região Europeia de Gastronomia 2021-2022. Para levar o festival aos visitantes, “com o gosto e a dedicação de sempre”, serão partilhados diariamente conteúdos digitais no site do festival e nas redes sociais da autarquia (Facebook, Instagram e YouTube). 

Uma receita por dia e a compilação de um livro de receitas digital (que incluirá, por exemplo, duas propostas com assinatura de Tiago Bonito, chef estrelado pela Michelin no restaurante Largo do Paço, em Amarante), a Rota do Arroz Carolino, uma exposição dedicada ao ciclo do arroz e conteúdos sobre a pesca da lampreia são algumas das formas encontradas para permanecer na memória (e no palato) dos comensais.

Os mais novos não são esquecidos: crianças e famílias são convidadas a “criar memórias” e participar em desafios que vão do exercício físico a oficinas que ensinam a fazer papel de arroz comestível.