Artistas, trabalhadores e estudantes ocupam teatros em França em defesa da cultura

Movimento iniciou-se há uma semana no histórico Teatro Odéon, em Paris, e já alastrou a outros palcos do país. Governo promete mais vinte milhões de euros para apoiar os intermitentes.

Foto
A ocupação do Teatro Odéon, em Paris, começou no dia 4 de Março YOAN VALAT/ EPA

Exactamente uma semana depois de vários trabalhadores intermitentes da cultura terem decidido ocupar o icónico Teatro Odéon, uma sala bicentenária em pleno centro de Paris, onde ainda permanecem, o Governo francês tentou esta quinta-feira lançar água na fervura de um movimento que, entretanto, e ao longo dos últimos dias, foi alastrando a todo o país, reivindicando a reabertura dos espaços culturais e a salvaguarda dos direitos dos profissionais dos espectáculos.

Sugerir correcção
Comentar