Covid-19: Norte-americanos vacinados podem encontrar-se com outros vacinados, diz Centro de Doenças dos EUA

Entre as primeiras recomendações para quem já foi totalmente vacinado está a possibilidade de ter pequenos encontros com outras pessoas vacinadas, nos Estados Unidos da América. Porém, devem continuar a usar máscara em público.

Foto
Reuters/POOL

O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos divulgou nesta segunda-feira algumas orientações para cidadãos norte-americanos que já foram totalmente vacinados contra a covid-19, notando, por exemplo, que podem reunir-se com outros vacinados dentro de casa, mas mantendo, ainda assim, a recomendação de medidas como o uso de máscara e distanciamento em espaços públicos.

De acordo com as informações disponíveis no site do CDC, pessoas totalmente vacinadas também podem fazer visitas a casas de pessoas não vacinadas, desde que sejam apenas de um agregado familiar e desde que ninguém, dentre os não vacinados, esteja em risco de desenvolver doença grave se contrair o vírus. Isto significa, por exemplo, que os avós já completamente vacinados podem visitar filhos e netos saudáveis sem máscaras ou distância física. Se, porém, os vizinhos aparecerem a visita deve passar para o ar livre e todos devem usar máscara e manter a distância.

A formulação surge, no entanto, em jeito de advertência, deixando espaço para alterações à medida que novos dados surgirem, tratando-se da primeira recomendação do CDC para pessoas totalmente vacinadas. O centro não exclui, aliás, a possibilidade de pessoas totalmente vacinadas desenvolverem infecções assintomáticas e espalharem o vírus inadvertidamente, recomendando assim aos que já estão vacinados a manutenção de certas precauções.

Além de usarem máscara em espaços públicos, bem como manterem distanciamento físico, devem continuar a evitar espaços mal ventilados, tapar tosse e espirros, lavar as mãos, entre outras medidas de protecção em vigor. Também devem continuar a evitar encontros de média ou grande dimensão, embora não tenham sido especificados números. Note-se que a maioria dos americanos ainda não recebeu a vacina.

Ainda de acordo com o centro, os cidadãos americanos totalmente vacinados não precisam de fazer quarentena ou serem testados se tiverem sido expostos ao vírus, desde que não desenvolvam sintomas de infecção (mas há excepções previstas para quem viva, por exemplo, em instituições). Se desenvolverem sintomas, terão de se isolar, fazer teste e contactar o médico.