“Queremos que mais mulheres subam montanhas”: uma expedição feminina portuguesa aos Himalaias

Espaços Naturais marca o Dia Internacional da Mulher com o lançamento de iniciativa “inédita” em Portugal: um programa de expedição alpinista à região dos Annapurna que se conjugará totalmente no feminino e será liderada pela experiente alpinista Paula Ferreira.

Foto
Paula Ferreira, alpinista e guia de montanha com muitos feitos no currículo DR

Há um propósito pioneiro deliberado e reforçado pela data do lançamento. Em Portugal, refere Pedro Guedes, nunca houve uma expedição de alpinismo exclusivamente feminina, “embora internacionalmente seja muito comum”. E, prossegue, como o “Dia [Internacional] da Mulher serve para marcar a luta histórica das mulheres pela igualdade de direitos e de oportunidades” e para “lembrar que há ainda muito trabalho para fazer neste caminho contra as desigualdades, o machismo e a misoginia que ainda existem”, a sua empresa, a Espaços Naturais, aproveita a boleia da efeméride para lançar uma nova expedição portuguesa – constituída apenas por mulheres.

Será à região dos Annapurna (Nepal), em Outubro e, claro, terá uma mulher a liderá-la, Paula Ferreira – currículo recheado de “primeiras”: foi a primeira portuguesa a subir ao Huascarán e ao Alpamayo, na Cordilheira Branca (Peru), ao Monte Quénia (Quénia) e ao Matterhorn (ou Monte Cervino, Alpes). A acompanhá-la estarão, no máximo, seis alpinistas e as candidaturas para reservas abrem no dia 8 de Março no site da Espaços Naturais.

O objectivo do grupo será atingir o topo do Chulu Far East (6059 metros), considerado um dos picos mais acessíveis da região dos Annapurna, e do Chulu East Peak (6584 metros), reconhecido como um dos mais belos da cordilheira dos Himalaias. Não é uma expedição para todas, há requisitos para cumprir.

“Será necessário ter conhecimentos e experiência de alpinismo e uma boa condição física”, sublinha Pedro Guedes. Antes da partida, as participantes terão um plano de preparação, explica o responsável, que “contempla diversas práticas na Serra de Gredos [Espanha] em temas específicos no alpinismo de expedição” e ainda “o acompanhamento do treinador e atleta Armando Teixeira através da plataforma de treino BeAPT”.

Diz a Espaços Naturais que, além de “inédita”, esta expedição feminina é uma “aposta forte” por parte da companhia que há 13 anos organiza expedições de alpinismo e trekking em montanhas de todo o mundo: O alpinismo não é só para homens. Queremos que o alpinismo se conjugue mais no feminino, queremos que mais mulheres subam montanhas e queremos dar-lhes mais visibilidade em Portugal”, afirma Pedro Guedes.

Afinal, reforça Paula Ferreira, a montanha “é totalmente acessível” também a participantes que estejam “a começar”, ou “que já tenham feito caminhadas e trekking e se queiram aventurar em voos mais altos”.