Patrícia Mamona garante o terceiro ouro para Portugal em Torun

Depois de Auriol Dongmo e Pedro Pichardo, a triplista portuguesa também garantiu o título europeu em pista coberta.

Fotogaleria

Foi uma prova quase perfeita que terminou com um novo recorde nacional em pista coberta (14,53 metros) e o título europeu no triplo salto. Depois das vitórias de Auriol Dongmo, no lançamento do peso, e Pedro Pichardo, no triplo salto, Patrícia Mamona tornou-se na tarde deste domingo na terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa de atletismo em pista coberta.

A verdade faz-nos mais fortes

Das guerras aos desastres ambientais, da economia às ameaças epidémicas, quando os dias são de incerteza, o jornalismo do Público torna-se o porto de abrigo para os portugueses que querem pensar melhor. Juntos vemos melhor. Dê força à informação responsável que o ajuda entender o mundo, a pensar e decidir.

Foi uma prova quase perfeita que terminou com um novo recorde nacional em pista coberta (14,53 metros) e o título europeu no triplo salto. Depois das vitórias de Auriol Dongmo, no lançamento do peso, e Pedro Pichardo, no triplo salto, Patrícia Mamona tornou-se na tarde deste domingo na terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa de atletismo em pista coberta.

Em Torun, na Polónia, a triplista portuguesa fez uma prova de enorme qualidade. Mamona, que tinha vencido a qualificação com um salto de 14,43 metros, a um centímetro do recorde nacional, começou a prova com duas boas marcas (14,35 e 14,38), mas ao terceiro salto estabeleceu o novo recorde nacional em pista coberta: 14,53 metros.

Quase de seguida, a alemã Neele Eckhardt surpreendeu ao estabelecer o seu recorde pessoal (14,52 metros), marca que deixava o ouro português preso por apenas um centímetro. Mais atrás, estavam Viyaleta Skvartsova (14,35m), Ana Peleteiro (14,34m) e Paraskevi Papachristou (14,31m).

Ainda com três saltos por fazer, Patrícia Mamona acabou por não melhorar o seu registo (nulo; 14,29 metros; nulo) e ainda apanhou um susto, quando Ana Peleteiro igualou Neele Eckhardt no segundo lugar com 14,52 metros (por ter uma segunda marca melhor, a espanhola ficou com a prata), mas a triplista nacional não deixou escapar mais um título para Portugal no Europeu.

A carregar...