Filme da estreante Pilar Palomero é o grande vencedor dos Goya

O filme Las Niñas ganhou quatro prémios no festival do cinema espanhol.

Foto
A realizadora Pilar Palomero (centro), a produtora Valerie Delpierre e a directora de fotografia Daniela Cajias celebram a vitória LUSA/Nacho Lopez / HANDOUT

O filme da estreante Pilar Palomero arrebatou as estatuetas de melhor película, nova realização, guião original e direcção de fotografia.

Os media espanhóis relatam que o filme Las Niñas, primeira obra da realizadora Pilar Palomero, foi o grande vencedor da cerimónia de sábado à noite dos Prémios Goya dedicada ao cinema espanhol. “Acabou assim convertida em película do ano. A gala mais emocionante para a fita mais emocionante”, escreveu o El Mundo. E o El País titulou: “Las Niñas fazem-se grandes nos Prémios Goya 2021.” Noutro texto intitulado, “Um reconhecimento do cinema independente e das mulheres”, o último jornal acrescentava: “Este Goya reconhece um filme dirigido por uma estreante, criado por uma equipa de mulheres e sobre umas adolescentes de um colégio de freiras em 1992, e ao mesmo tempo eleva a produção e distribuição independentes que nestes meses não só roubaram o protagonismo às grandes produções como foram cruciais para manter vivas as salas de cinema.”

Nas contas do El País, Pilar Palomero é o quinto realizador estreante a ser distinguido com o prémio para o melhor filme — e a primeira mulher —, depois de Agustín Díaz Yanes, Alejandro Amenábar, Achero Mañas e Raúl Arévalo. Daniela Cajías foi igualmente a primeira mulher a ganhar a direcção de fotografia.

A noite também foi histórica pela atribuição do primeiro Goya a um actor negro: Adam Nourou venceu na categoria de intérprete revelação como protagonista de Adú, de Salvador Calvo. O filme, rodado em África, recebeu mais três prémios, entre os quais o de melhor realização. O filme que levou mais estatuetas foi Akelarre, do argentino Pablo Agüero. Prémio de melhor actriz foi para Patricia Lopez Arnáiz, por Ane, e o de melhor direcção artística para Mikel Serrano, além de outros três.

Notícia corrigida às 11h