“Será muito difícil crescer sem esperança no futuro”

Helena Águeda Marujo acredita que, apesar dos problemas de saúde mental com que nos confrontamos, por causa da pandemia, há coisas boas que vieram para ficar como a atenção ao outro e a nós mesmos.

Foto

Foi precursora, ao lado do marido, Luís Miguel Neto, da corrente da Psicologia Positiva em Portugal. É a responsável pela cátedra da UNESCO para a Paz Global Sustentável em que procura promover “abordagens de esperança, optimismo e harmonização para que a paz global cresça na experiência individual e colectiva”, diz ao PÚBLICO.