Sexo, mentiras e televisão: as (desastrosas) entrevistas da família real britânica ao longo dos tempos

No passado, de cada vez que um membro da família real decidiu abrir o coração numa entrevista, o resultado foi, quase sempre, catastrófico. A dois dias da transmissão da entrevista dos duques de Sussex, uma viagem por uma história com “sexo, mentiras e televisão”.

Foto
A entrevista que Oprah fez a Harry e à mulher Meghan vai estrear no domingo, no canal norte-americano CBS Reuters/HANNAH MCKAY

Apesar de ser notícia dia sim, dia sim, a família real britânica é conhecida pela sua discrição. Não admira, por isso, o frenesim televisivo de cada vez que um membro relevante aceita ceder uma entrevista exclusiva, com contratos milionários em publicidade e de retransmissão, como está a acontecer com o príncipe Harry e a mulher Meghan que aceitaram responder às perguntas da norte-americana Oprah Winfrey. A ITV, por exemplo, terá pagado um milhão de libras, equivalente a 1,16 milhões de euros, pelos direitos de transmissão do programa, no dia seguinte, no Reino Unido.

No entanto, os jornalistas e autores que ao longo dos anos se especializaram nos assuntos da realeza temem que esta entrevista seja mais um prego no caixão de uma monarquia que, apesar do apoio da maioria, cada vez mais cidadãos da Commonwealth dizem estar com os pés para a cova. 

Por exemplo, o antigo editor do guia The International Who's Who, Richard Fitzwilliams, lembrou ao The Independent que as entrevistas reais “muito raramente acabam bem”. E a história concorda, segundo um apanhado da agência noticiosa Reuters:

Rainha Isabel II

A monarca, de 94 anos e com 69 de reinado, nunca deu uma entrevista formal, embora tenha aparecido em documentários televisivos sobre a sua família e discutido questões relacionadas com aspectos específicos da vida real, nomeadamente em The Royal Family, para a BBC. O filme, de 110 minutos, foi visto por 30 milhões de pessoas, em 1969, e continua a ser uma das emissões televisivas mais vistas no Reino Unido. No entanto, o resultado não foi do agrado da rainha e foi colocado pela BBC na gaveta, em 1972, por pressão de Isabel II. Recentemente, depois de o documentário ter sido abordado na série The Crown, o filme foi colocado no YouTube. 

Um porta-voz da BBC recusou-se a comentar a súbita reaparição do vídeo à CNN, mas a empresa não refutou os relatos de que tinha apresentado uma queixa que levou à remoção do conteúdo do YouTube. “Quando existe uma queixa de direitos de autor, removemos imediatamente o conteúdo”, disse o YouTube à CNN.

Príncipe Carlos e Diana (1981)

Pouco depois do anúncio do noivado, o príncipe herdeiro, agora com 72 anos, e a futura mulher Diana Spencer deram uma entrevista televisiva para darem mais detalhes sobre a sua relação. No final, perguntaram-lhes como se sentiam. Carlos disse: “Simplesmente encantado e feliz, estou espantado por ela ter sido suficientemente corajosa para me aceitar.” E a entrevistadora tentou rematar: “E, suponho, apaixonado”. Diana respondeu imediatamente: “Claro.” Mas Carlos mostrou-se relutante: “Seja o que for que o amor significa, pode fazer a sua própria interpretação.” Anos depois, Diana descreveu esse momento como traumatizante.

Príncipe Carlos (1994)

Numa entrevista televisiva que se seguiu a anos de especulação sobre o seu casamento com Diana, o príncipe herdeiro confessou ter cometido adultério. Admitiu ter enganado Diana, com quem se casou em 1981, numa entrevista em horário nobre com Jonathan Dimbleby, assistida por cerca de 15 milhões de telespectadores. Mas esquivou-se a responder sobre um caso com Camilla Parker-Bowles, que descreveu como uma “grande amiga” (mas com quem viria a casar em 2005).

Questionado se tinha permanecido fiel aos seus votos matrimoniais, o príncipe de Gales respondeu afirmativamente, ressalvando: “Até [o casamento] estar irremediavelmente perdido.” Além disso, o príncipe queixou-se de ser perseguido pela imprensa que acusou de os ter transformado em personagens de uma “telenovela”.

Princesa Diana (1995)

Provavelmente, a mais famosa entrevista real: Diana falou com o jornalista Martin Bashir para uma entrevista ao BBC Panorama em 1995. Durante a emissão, assistida por mais de 20 milhões de espectadores só na Grã-Bretanha, a princesa, que morreu num acidente de viação em Paris dois anos depois, com 36 anos, admitiu um caso extraconjugal e deu detalhes íntimos sobre o fracasso do seu casamento com o príncipe Carlos. A frase que ficou para a história: “Éramos três neste casamento”, numa referência à actual duquesa da Cornualha.

Príncipe André (2019)

Após muita especulação sobre a sua relação com o financeiro norte-americano Jeffrey Epstein, acusado de crimes sexuais, nomeadamente com menores, o príncipe André, de 61 anos, deu uma entrevista à BBC. Contudo, esta foi considerada um desastre que acabou por alimentar mais manchetes negativas sobre a sua associação com Epstein, que se matou numa prisão americana enquanto aguardava julgamento sobre acusações de tráfico sexual.

André, oitavo na linha de sucessão ao trono, rejeitou as alegações de que tinha tido relações sexuais com uma rapariga de 17 anos, a quem Epstein o teria apresentado, dizendo que, na noite em causa, ele tinha estado num restaurante na cidade de Woking para uma festa de crianças.

Disse também que sofria de uma condição médica que o impedia de transpirar e lançou dúvidas sobre a autenticidade de uma fotografia que o mostrava com o braço à volta da cintura da alegada vítima. A seguir à entrevista, instituições de beneficência e outras organizações distanciaram-se do príncipe, que foi forçado a renunciar aos deveres públicos, dizendo que a situação tinha causado grandes perturbações no trabalho da família real.

Príncipe Harry e Meghan (2019)

Embora não seja uma entrevista formal, tanto Harry, 36 anos, como Meghan, 39, falaram separadamente com o jornalista da ITV Tom Bradby durante a viagem que fizeram por África, em 2019. E o resultado não poderia ter corrido pior: as revelações terão provocado o azedume na relação entre Harry e Willliam. Além disso, muitos no Reino Unido não apreciaram a postura de Meghan, acusando-a de vestir o papel de vítima. Pouco tempo depois, o casal anunciou o afastamento dos deveres reais.

Apesar de tudo, nem todas as entrevistas foram um desastre. A excepção cabe à princesa Ana, de 70 anos.

Princesa Ana (1980)

A segunda filha de Isabel e Filipe, nascida ainda antes da ascensão ao trono, deu uma entrevista ao programa de Michael Parkinson em 1980. A princesa Ana apresentou-se como uma pessoa franca e bem-humorada, o que lhe valeu muitos elogios.