Um terço das pessoas com mais de 80 anos já recebeu a primeira dose da vacina — 3% da população portuguesa está imunizada

Nos últimos sete dias foram vacinadas 168.798 pessoas contra a covid-19 em Portugal. Ao todo, 265.281 já receberam as duas doses da vacina.

Foto
57.191 pessoas com mais de 80 anos já se encontram completamente imunizadas Rui Gaudêncio

Há 265.281 pessoas que já receberam as duas doses da vacina contra a covid-19, mais 15.134 do que semana anterior — o que significa que 3% da população portuguesa já se encontra imunizada. Um terço dos idosos com mais de 80 anos já recebeu pelo menos uma dose da vacina. A informação foi avançada no relatório semanal de vacinação para a covid-19 da Direcção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta terça-feira. 

Nos últimos sete dias foram vacinadas 168.798 pessoas. No total, 603.486 pessoas foram administradas com pelo menos uma dose da vacina desde o início do plano de vacinação a 27 de Dezembro de 2020, o que se traduz em 6% da população portuguesa. A faixa etária que abrange pessoas com mais de 80 anos é a que está mais avançada na vacinação: 225.171 pessoas desta faixa já receberam a primeira dose da vacina (34% do total), e 57.191 já se encontram completamente imunizadas (9% do total).

Das 1.002.999 doses recebidas até ao momento, 933.847 já foram distribuídas pela população, correspondendo a cerca de 93% das doses.

A região Norte foi a que vacinou mais pessoas na última semana, com 67.454 doses administradas, seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo com mais 53.103 vacinações. O Centro contabilizou mais 40.470 doses administradas, o Alentejo 13.483, e o Algarve 9.341.

Governo pondera incluir professores no grupo prioritário da vacinação

A ministra da Saúde, Marta Temido, assumiu em entrevista à SIC, na terça-feira, que o Governo está a ponderar incluir os professores no grupo prioritário de vacinação. “É uma hipótese que está a ser analisada. Não só em Portugal como noutros países”, revelou a responsável nesta terça-feira.

“Quando olhamos à nossa volta e vemos os processos de desconfinamento, vemos duas novas medidas: a vacinação e a testagem”, começou por explicar. “Poderá fazer sentido que os adultos que trabalhem nesses locais [escolas] possam ser alvo de uma vacinação diferenciada, como fizemos com outros locais.”