Procura por cabeleireiros e serviços de estética no OLX disparou com confinamento — preço também

A procura por serviços de cabeleireiro, estética e massagem na plataforma cresceu na mudança de quinzena em Janeiro, e voltou a subir no início de Fevereiro. As respostas individuais aos anúncios acompanham o crescimento, embora se verifique pouca oferta activa no site.

Foto
O número de pesquisas e respostas as anúncios de serviços de beleza “cresceu substancialmente entre a primeira quinzena de Janeiro e a primeira quinzena de Fevereiro” Unsplash

Durante o confinamento, a procura por serviços de cabeleireiro, estética e massagem está a crescer, revela um estudo do OLX baseado nos dados da plataforma. Apesar das restrições em vigor pautarem o recolhimento domiciliário, e o encerramento de serviços não essenciais, o número de pesquisas e respostas a anúncios destes serviços “cresceu substancialmente entre a primeira quinzena de Janeiro e a primeira quinzena de Fevereiro”, divulga a empresa em comunicado. A análise da evolução da procura, oferta e preço médio destes serviços mostra que há, neste momento, várias tentativas de praticar a manutenção da beleza ao domicílio, ilegalmente.

De acordo com o estudo, na subcategoria de cabeleireiro foi registado um aumento de 70% do número de pesquisas da primeira quinzena de Janeiro para a segunda — altura em que entraram em vigor as restrições de confinamento. Nos primeiros 15 dias de Fevereiro, foi observado um novo aumento, desta vez apenas de 48%. A procura cresceu e a resposta não ficou atrás: da primeira para a segunda quinzena de Janeiro, o número de respostas aumentou 84%; na primeira quinzena de Fevereiro subiu 34%.

Lisboa e Porto foram os distritos onde se notou mais a procura de serviços de beleza, sendo que na capital o crescimento relativo aos cabeleireiros foi de 124% e 35%, e no Porto 32% e 41%, nos respectivos períodos. Já as ofertas com anúncios activos tiveram um aumento tímido de 4%, inicialmente, chegando aos 7%.

Na área da estética, o número de respostas a anúncios aumentou apenas 35% entre as quinzenas de Janeiro, subindo novamente em 26% na primeira de Fevereiro. Como dita a lei da procura e da oferta, verificou-se também um aumento do preço médio deste serviço nos anúncios, passando de 205 euros para 218 euros em Janeiro (mais 6%), e para 271 euros em Fevereiro (mais 24%). Valores que se afastam de um simples corte de cabelo ao domicílio, que o PÚBLICO verificou custar cerca de 15€. Contudo, na maioria dos casos o preço dos serviços encontra-se sob orçamento.

Embora com menor representatividade, também as massagens fazem parte das pesquisas dos portugueses na plataforma. Ao princípio, quando foi decretado o recolher obrigatório, a procura caiu 14%, mas na primeira quinzena de Fevereiro aumentou 21%. As respostas a anúncios sentiram uma quebra de 12% em Janeiro, e subiram apenas 7% no início do último mês. À semelhança dos serviços de estética, o preço das massagens também inflacionou: começou por subir de 49 para 56 euros (mais 14%) e depois fixou-se nos 68 euros (mais 21%). Os anúncios activos, por sua vez, cresceram 2% em Janeiro e depois 4% no início de Fevereiro.

“Quando pensámos em analisar estas categorias esperávamos encontrar quebras muito significativas nos números. No entanto, e muito provavelmente devido ao facto de todos os espaços físicos nos quais se desenvolviam estas actividades terem sido encerrados durante o confinamento, os portugueses tiveram de encontrar alternativas de desempatar a sua vida, na tentativa de manter uma aparência cuidada e de tratar alguns dos sintomas próprios de quem passa por momentos de grande stress, e o OLX acabou por ser o parceiro ideal para solucionar estes problemas”, considera Alexandra Santos, Marketing Lead do OLX Portugal, no mesmo comunicado.