Adeus, Sr. e Sra. Cabeça de Batata: brinquedo passa a não ter género

“A cultura evoluiu” e o famoso brinquedo da Hasbro também. A nova reformulação pretende romper com os papéis de género. Queres pôr uns brincos ao Sr. Cabeça de Batata? Podes fazer isso e muito mais.

Foto
Hasbro

As batatas não têm género. E em breve, com quase 70 anos, o nome do popular brinquedo em forma de batata da Hasbro vai reflectir isso: acabou-se o Sr. Cabeça de Batata. É apenas Cabeça de Batata.

Na quinta-feira, a empresa anunciou que iria reformular o icónico brinquedo para romper com as ideias tradicionais sobre papéis de género e estruturas familiares — como celebrar o casamento e os aniversários do “Sr. e Sra. Cabeça de Batata” ou vender conjuntos do casal e dos seus descendentes, Spud e Yam (Sim, até havia uma cerca).

Em breve, a Hasbro espera que o brinquedo possa ser um pouco mais flexível e diversificado, abrindo espaço para os casamentos do Sr. e Sr. Cabeça de Batata ou famílias monoparentais. A mudança reflecte um apetite crescente por produtos que sejam mais flexíveis em torno da identidade, desde um aumento de popularidade na maquilhagem para homens até à diversidade das novas Barbies da Mattel e um boneco de rapaz da American Girl. Um em cada seis adultos da geração Z identifica-se como LGBT, de acordo com um inquérito Gallup, fornecendo algumas das estatísticas mais detalhadas e actualizadas de sempre sobre o tamanho e a composição da população LGBT da nação.

“A cultura evoluiu”, afirmou Kimberly Boyd, que trabalha na marca Potato Head da Hasbro, à Fast Company. “As crianças querem ser capazes de representar as suas próprias experiências. A forma como a marca existe actualmente com o Sr. e a Sra  é limitadora no que diz respeito tanto à identidade de género como à estrutura familiar.”

O público ideal para o brinquedo Cabeça de Batata são as crianças com cerca de 2 ou 3 anos, disse Boyd à Fast Company. Não só devido à sua tolice, mas também devido à sua capacidade de servir como uma tela em branco onde podem modelar as suas experiências. “Isto assume muitas vezes a forma de criar pequenas famílias de batatas, porque estão a aprender o que significa estar numa família.”

Quando o brinquedo reformulado chegar às prateleiras no Outono, as peças que o acompanham serão feitas de “plástico vegetal” e terão menos embalagens de plástico, disse a Hasbro aos investidores na quinta-feira, de acordo com o relatório da Bloomberg. Uma porta-voz disse à Bloomberg que o kit incluirá duas batatas adultas de plástico, uma batata bebé e 42 acessórios.

A notícia levantou alguma revolta nos meios de comunicação social na quinta-feira, e pode vir a gerar algum fogo em certos cantos da cultura conservadora, mas na realidade não é controversa, disse Neil Saunders, director-geral de retalho da GlobalData, em Nova Iorque.

“Uma batata não tem um género. E eles não estão só a dizer que o brinquedo não pode ser masculino, feminino ou qualquer outra coisa estão apenas a permitir que a criança ou o consumidor determine isso por si próprio”, disse Saunders num email ao The Post. “A alternativa seria produzir toda uma variedade de produtos diferentes para satisfazer os diferentes géneros mas isso seria complicado em termos de custos e de garantir espaço nas lojas. Portanto, esta é a solução mais simples.”

O Sr. Cabeça de Batata original da Hasbro custava apenas 98 cêntimos, segundo a Fast Company, cerca de 10 dólares (12 euros) na moeda actual. Após o lançamento do primeiro anúncio televisivo — que foi o primeiro dirigido a crianças em vez de adultos — a Hasbro alcançou mais de 4 milhões de dólares (3.280 mil euros) em vendas em apenas alguns meses, de acordo com o National Toy Hall of Fame. No ano seguinte, em 1953, a Hasbro lançou uma Sra. Cabeça de Batata e as batatas crianças, Spud e Yam. Mais tarde, a empresa vendeu vários conjuntos com toda a família.

Em 1992, o Sr. Cabeça de Batata renunciou ao seu estatuto de batata do sofá e “recebeu um Prémio Presidencial de Desporto do Conselho Presidencial sobre Aptidão Física e Desporto”, de acordo com o Quad-City Times, que foi apresentado no relvado da Casa Branca.

Depois do Sr. Cabeça de Batata ter aparecido, pela voz do humorista Don Rickles, no filme Toy Story da Pixar nos anos 90, as vendas receberam outro grande impulso, tal como muitos outros brinquedos clássicos apresentados no filme, como slinky e Etch-a-Sketch, de acordo com o The Takeout.

George Lerner, um inventor de Brooklyn, concebeu pela primeira vez o Sr. Cabeça de Batata como um “kit de cara engraçada” que as crianças podiam colar nas batatas ou noutros vegetais com forma de cabeça em 1949, de acordo com a ThoughtCo. A primeira versão foi uma colecção que incluía 28 mãos, pés, olhos, bocas, cabelo e chapéus — batata não incluída. Depois de vender as peças como bónus nas caixas de cereais, Lerner vendeu mais tarde os direitos à empresa Hassenfield Brothers de Rhode Island, que viria a tornar-se na Hasbro.

O Sr. e a Sra. Cabeça de Batata originais continuarão a ser vendidos, confirmou a Hasbro na quinta-feira num tweet. A empresa não respondeu de imediato a um pedido de comentários do The Post.

Exclusivo PÚBLICO/The Washington Post