Fotografia

Em São Francisco, uma casa vitoriana de 139 anos viajou seis quarteirões e mudou de morada

Brittany Hosea-Small/Reuters
Fotogaleria
Brittany Hosea-Small/Reuters

Uma enorme casa vitoriana, situada no número 807 de Franklin Street, em São Francisco, vai passar a ser a número 635 de Fulton Street. Uma mudança de cerca de seis quarteirões, feita em sentido contrário numa rua de sentido único. A casa de 139 anos mudou de localização este domingo de manhã, em cima de um reboque que não andou a mais de 1,6 quilómetros por hora para a transportar, completamente intacta (e inteira), de um ponto para o outro. 

A mudança já estava a ser planeada há anos. "Tivemos que ir a 15 agências diferentes na cidade até concordarem em fazer isto. Ou talvez a 18, não tenho a certeza", disse ao San Francisco Chronicle Phil Joy, veterano na área de deslocar casas (uma prática que não é tão rara assim). Para conseguir permissão para fazer a relocalização, Tim Brown, o dono da casa, pagou cerca de 200 mil dólares em taxas. E outros 200 mil para a mudança. 

Durante a viagem, parquímetros foram arrancados, sinais foram deslocados e carros foram rebocados. Não é fácil arranjar espaço para uma casa com seis quartos e três casas de banho que anda pelo meio da rua. Para Joy, a mudança não é novidade, apesar de cada mudança ser diferente. Esta é particularmente complicada por causa das dimensões da casa — 24 metros de largura —, e porque parte do percurso é a descer. 

Casas como esta valem a pena ser mantidas, assegurou Joy. "Porque não a demolimos? Olha para ela. É histórica. Madeira original. Já não consegues madeira assim, de árvores com 800 anos. É uma coisa linda. Move uma casa, salva uma árvore." Ou várias

Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Brittany Hosea-Small/Reuters
Sugerir correcção