Há empatia com Costa, mas falta tempo e um plano à Cultura

Apesar de ter tranquilizado alguns dos subscritores que o vêem atento, há quem considere que António Costa “insuflou”o papel da cultura no Plano de Recuperação e Resiliência e pedem para que se divulgue a proposta que o Ministério da Cultura fez.

Foto
António Costa numa visita ao Museu de Serralves Ricardo Castelo \ Nfactos

O primeiro-ministro, no artigo de opinião que este domingo assinou no PÚBLICO, em resposta à “Carta Aberta da Cultura a António Costa”, assinada por várias entidades da Cultura onde se alertava para a “omissão da Cultura” no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), fez um repto pedindo que até ao próximo dia 1 de Março, data em que termina o prazo de consulta pública, sejam feitos contributos, que diz o primeiro-ministro serão “bem-vindos” para que possam “considerar novos programas ou novos projectos”. O PÚBLICO tentou escutar algumas respostas a este desafio.