Ascenso Simões e a polémica Marcelino da Mata: “É uma falácia o exemplo colonial português”

O deputado do PS votou contra o voto de pesar pela morte de Marcelino da Mata. “A nossa História precisa de ser descolonizada, é insuportável uma história falsa”, diz.

Foto
Daniel Rocha

Porque votou contra o voto de pesar apresentado pelo PS, PSD, CDS, relativamente à morte do tenente-coronel Marcelino da Mata?
O voto foi apresentado pela Comissão de Defesa e teve o cuidado de ser o mais neutral possível quando o comparamos com os votos dos partidos da direita. Mas, mesmo assim, partia de dois elementos que eram, para mim, inaceitáveis – as medalhas do fascismo assumiam no percurso de vida de Marcelino da Mata a elaboração máxima do exemplo de africano usado pelos senhores da guerra; a referência ao facto de Mata ter subscrito um telegrama contra o Congresso dos Combatentes de 1973, não traduziu um acto de questionamento da guerra, antes uma imposição dos oficiais spinolistas que haviam criado militarmente Mata e muitos outros combatentes africanos ao serviço dos Comandos.