PS quer apoiar autarca independente de Vizela, mas concelhia critica o processo

A direcção nacional do partido está em negociações com Vítor Hugo Salgado para liderar a lista. O processo autárquico foi avocado esta segunda-feira pela distrital.

Foto
Victor Hugo Salgado pode regressar ao PS, do qual saiu há quatro anos ADRIANO MIRANDA

A disputa pela Câmara de Vizela só se joga daqui a oito meses, mas a família socialista já está desavinda. A direcção nacional está em negociações com o independente Vítor Hugo Salgado para encabeçar a lista do PS nas eleições autárquicas, mas a comissão política concelhia não aceita ficar à margem das escolhas como pretende a federação de Braga do partido.

Esta segunda-feira, a federação do PS de Braga decidiu avocar o processo autárquico de Vizela, retirando espaço à concelhia que, em reunião do secretariado, a 27 de Novembro, decidiu convidar Dora Gaspar, presidente da concelhia a quem compete, de acordo com os estatutos do partido, indicar o candidato.

Vereadora sem pelouros na Câmara de Vizela, Dora Gaspar não entende as razões que levaram a distrital a usar a figura da avocação do processo, quando a concelhia havia “manifestado vontade em dialogar” com o movimento independente liderado por Vítor Hugo Salgado com vista a um acordo no âmbito das autárquicas. “A nossa abertura foi comunicada à nacional, daí que consideremos a decisão da distrital inaceitável, injusta e humilhante para com o PS de Vizela”, declarou a dirigente socialista, adiantando que vai reunir o secretariado da concelhia com urgência para se pronunciar sobre a avocação.

“É estranho que isto tenha acontecido, uma vez que a nacional na reunião que teve connosco, no do dia 13 de Junho, e na qual participaram José Luís Carneiro, Maria Luz Rosinha e Joaquim Barreto [líder da distrital] pediu-nos para tentarmos uma aproximação com o movimento de Victor Hugo Salgado com vista a um entendimento e disse que respeitaria sempre a decisão da concelhia”, revelou.

Dora Gaspar garante, em declarações ao PÚBLICO, que a concelhia aceitou que o ex-socialista Vítor Hugo Salgado fosse candidato pelo PS à Câmara de Vizela nas próximas eleições num sinal de “união da família socialista” e em “nome dos valores do PS”. Por estas razões, diz, não poder aceitar a decisão da distrital. “Esta é uma decisão que não abona a favor da democracia”, insurge-se, assegurando que da parte da concelhia “nada falhou” em relação a este processo.

Se Victor Hugo Salgado aceitar liderar a lista, o actual presidente da Câmara de Vizela fará regressar ao PS mais de uma centena de pessoas que saíram consigo do partido há quatro anos, para integrar o movimento independente.