Após anos de silêncio, Justin Timberlake pede desculpas a Britney Spears e Janet Jackson

O cantor admitiu que as suas acções terão contribuído para a cultura de machismo e racismo da indústria musical.

Foto
Timberlake e Spears namoraram durante três anos REUTERS/TIM SHAFFER

Ao longo dos últimos anos, o cantor Justin Timberlake tem sido criticado pela forma como tratou a ex-namorada Britney Spears e a cantora Janet Jackson. “Sei que falhei”, escreveu o cantor, na passada sexta-feira, na sua página de Instagram. A declaração de Timberlake, após vários anos de silêncio, surge na mesma semana em que o pai de Britney Spears perdeu o controlo total sobre as finanças da cantora.

Justin Timberlake sempre negou ter qualquer responsabilidade ou envolvimento nos problemas de carreira, tanto na de Britney Spears como na de Janet Jackson — até agora. “A indústria é defeituosa. Impulsiona os homens, especialmente os homens brancos, para o sucesso”, começou por escrever o cantor de música pop para os mais de 60 milhões de seguidores. “Por culpa da minha ignorância, não o reconheci quando estava a acontecer na minha própria vida, mas não quero nunca mais beneficiar da desgraça dos outros”, lamentou Timberlake. 

O pedido de desculpas público surge uma semana após o lançamento do documentário “Framing Britney Spears”, produzido pelo New York Times. O filme retrata a ascensão de Britney a ícone da cultura pop, a tutela do pai sobre os bens da cantora e a cultura machista que contribuiu para a queda da sua popularidade. Timberlake é uma das “personagens” do documentário, que tem dado que falar nas redes sociais. 

Britney Spears e o cantor namoraram durante três anos, no início dos anos 2000. Timberlake tem sido, desde então, criticado pela forma como beneficiou com o término da relação — a canção “Cry Me a River”, lançada pouco depois, sugeria que Spears o tinha traído. Enquanto a carreira de Justin Timberlake ia de vento em pompa, Spears era arrasada na imprensa como traidora e perseguida constantemente por paparazzis

As redes sociais têm sido inundadas de mensagens de apoio à cantora, que conseguiu finalmente ganhar a batalha judicial contra o pai — quem tinha a tutela de todos os seus bens. Pelo meio, o nome de Justin Timberlake veio à baila e milhares de utilizadores recordaram também a polémica que, em 2004, envolveu o cantor e Janet Jackson. Durante o espectáculo do intervalo do Super Bowl desse ano, Timberlake puxou a blusa da cantora, deixando à mostra um dos mamilos de Jackson. O escândalo abalou a carreira da irmã de Michael Jackson, mas Timberlake saiu — mais uma vez — ileso.

O cantor de 40 anos pediu desculpa por “todas as vezes” em que não “levantou a voz pelo que era certo” e as suas acções apenas contribuíram para o agravar do “problema”. Timberlake admitiu mesmo ter beneficiado do “sistema que tolera o machismo e o racismo”. “Peço desculpa especialmente a Britney Spears e a Janet Jackson”, sublinhou na mesma publicação. O intérprete de “Mirrors” disse, ainda, ter-se sentido compelido não só a responder por si, mas sobretudo por querer fazer parte da discussão do problema do racismo e machismo na indústria da música. “Sei que pedir desculpa não apaga o passado, mas é o primeiro passo. Sei que posso e vou fazer melhor”, concluiu.