A Berlim de Callaz

Em 2020, Callaz, pseudónimo de Maria Soromenho, passou uma temporada em Berlim apaixonou-se pela cidade. Começou a aprender alemão e deixou que a capital alemã inspirasse o seu novo álbum, Dead Flowers & Cat Piss, que sai a 19 de Fevereiro. Em vésperas do lançamento, a artista partilha dez sítios, momentos ou palavras de Berlim que a marcaram, para inspirar futuras viagens no pós-confinamento.

Foto

Weichselstraße
Conheci várias pessoas nesta rua de Neukölln. A música Berlin no Dead Flowers & Cat Piss foi inspirada por um episódio passado aqui. Com vários bares e restaurantes, realço o Beuster Bar, Peppy Guggenheim e Das Gift.

Weserstraße
Weserstraße cruza com Weichselstraße e tem também vários bares e restaurantes gemütlich (confortáveis). Em Outubro, vi o último filme do Pedro Costa (Vitalina Varela, legendado em alemão) no Wolf Kino nesta rua. Uma sala de cinema pequena e bonita dentro de um bar. 

Alte Nationalgalerie 
Dos meus museus preferidos em Berlim, com pintura e escultura europeia do séc. XIX e localizado no centro histórico, na ilha dos museus. A última exposição que aqui vi foi a Dekadenz und dunkle Träume - Der belgische Symbolismus ("Decadência e sonhos sombrios - Simbolismo Belga"). 

Flughafen Tempelhof 
Conhecido como o aeroporto abandonado, há algo de místico e mágico neste espaço. Até 2008, era um dos aeroportos principais de Berlim. Neste momento, a área exterior tornou-se no maior parque público da cidade, o Tempelhofer Feld, ainda com as pistas de aterragem e descolagem. O interior do edifício ficou calmamente parado no tempo. 

Plötzensee
Quando fiquei numa casa em Wedding visitei muito este lago. Perfeito para andar, escrever, ouvir música e nadar (e sem nada, é bastante comum). Tem uma “praia”, mas o mais interessante é aceder ao lago através da vegetação. 

Freya Fuchs
Este é o meu bar preferido na zona de Wedding. Com esplanada, o interior é à luz das velas, a cerveja é barata e a música sempre muito boa (The Velvet Underground, Love, The Beach Boys frequentemente). Estive várias vezes sozinha neste bar no fim do Verão passado a trabalhar em letras para músicas que estou a compor agora.

Ich hab’ noch einen Koffer in Berlin
Ouvi esta música (a versão assombrante de Marlene Dietrich) pela primeira vez em Lisboa. Estava com uma amiga alemã que me explicou o significado do refrão: “Eu ainda tenho uma mala em Berlim”. Achei muito bom como significado lírico e agora que estou a aprender alemão ainda gosto mais!

Hermannplatz Station 
Esta é a minha estação de U-bahn preferida em Berlim. Acho-a lindíssima, feita de azulejos amarelos e cinzentos. Disseram-me que visualmente não mudou (praticamente) nada desde a sua inauguração no final dos anos 20. 

Treptower Park 
Gosto muito deste parque, Não tanto a zona com o famoso memorial, mas a parte onde se pode andar ao longo do rio Spree, ver as casas do outro lado do rio e o beer garden.

Berlin Wonderland: Wild Years Revisited, 1990-1996 
Quando estava na casa da minha amiga Simone em Mitte, ela emprestou-me este livro, Berlin Wonderland: Wild Years Revisited, 1990-1996. Com texto e imagens, tem o testemunho de vários artistas a morar em Berlim entre 1990 e 1996, depois da queda do muro. Explorando a subcultura da época, mostra um tempo de colaboração e liberdade que me fez compreender melhor o que Berlim é agora dando também alguma esperança para o futuro através do sonho.