Se queres ser rico, clica aqui

Com pensamento na meta de ser milionário, milhares de jovens, com formação académica superior aquela que qualquer geração teve, bem como acesso a informação a níveis sem precedente até hoje, continuam a cair em esquemas em pirâmide associados a transacções de valores.

Foto
Unsplash

Procuras riqueza rápida? Acreditas que o mais importante é a forma como dispomos a nossa energia, e o sítio e inteligência com que o fazemos e não tanto o clássico trabalho árduo, que pautou a vida dos nossos pais? Então permite-me confessar, estás mais perto da burla do que do sonho empreendedor.

Com pensamento na meta de ser milionário, milhares de jovens, com formação académica superior aquela que qualquer geração teve, bem como acesso a informação a níveis sem precedente até hoje, continuam a cair em esquemas em pirâmide associados a transacções de valores (câmbios vulgo Forex, títulos, obrigações, e por aí em diante).

Movidos e aliciados pelo (aparente) dinheiro fácil, somos convidados a entrar neste mundo com formação (paga, claro) e investindo fundos em plataformas (na sua maioria não autorizadas) de trading.

O processo acontece de forma simples. Investindo dinheiro em publicidade em redes sociais, um aparente profissional de excelência em investimentos publicita o seu modo de vida faustoso, com bons carros, boas casas, muitas viagens (agora nem tanto), em grandes hotéis e restaurantes. Por fim apela com algumas mensagens base: é rápido e fácil teres esta vida e posso ensinar-te a tal. Os grandes génios investem, tens que perder o medo de começar algo em nome próprio. Torna-te senhor do teu destino. E sem mais nem menos, somos incitados a começar uma conversa com estas entidades solidárias que querem partilhar a sua riqueza com todos os outros.

Os nossos “mestres” vão convidar-nos a investir na plataforma que lhes for mais conveniente, vão preparar-nos para a volatilidade, mas sempre com um final feliz em mente, e por fim ainda vão pedir valores semanais por consultoria. Poderá passar alguns meses até o cliente perceber que perdeu várias centenas ou milhares de euros. Nada que importe ao “mestre” que já recebeu, além do seu serviço de consultor, uma boa maquia pela tua conversão à plataforma.

Na génese, o esquema em pirâmide presente é relativamente simples de entender. As plataformas ganham via comissão de gestão, os mediadores ganham via comissão de conversão, subcontratam pessoas ou serviços para os promover, que continuam a retirar dinheiro ao longo da cadeia.

Algumas notas:

1) Existem de facto pessoas que ganham dinheiro em trading. Envolve anos de experiência, trabalho a tempo inteiro, análise de mercado e geralmente utilização de plataformas credíveis.

2) Os influencers milionários que tentam vender este sonho ganham apenas mediante o que vos vendem. É aí que está o ouro deles. No vosso bolso.

3) A falta de regulamentação e mão pesada sobre estes burlões profissionais, que conduzem carros de alta cilindrada com dinheiro de adolescentes e jovens, enquanto nem sequer empresa têm aberta, em fugas de milhões de euros em impostos, é um atentado fiscal e civil à nossa lei;

4) É confrangedor ver ao longos dos anos associações de estudantes, empresas de viagens que trabalham para sector juvenil, marcas de bens (roupa e afins), promotores de eventos, entre outros, patrocinarem burlas, legitimando na praça pública a sua acção.

Se queres ser rico, luta por essa possibilidade, estuda muito, trabalha mais, contribui para o desenvolvimento do teu país e ajuda a tua comunidade (ninguém chega lá sozinho). Fala com os verdadeiros e grandes empreendedores do nosso país. E, por favor, denuncia movimentos criminosos.