Como se corta a água quando ela não corre nos canos?

Este texto é inspirado num notícia do jornal A Bola que começa assim: “Caro leitor, esta é a notícia mais insólita que provavelmente vai ler hoje.” Talvez tenha sido nesse dia, mas o insólito está nos genes deste infeliz país.

1. Imagine, cara leitora (agora vou passar a intercalar o género) um absurdo. Alguém, pelo mau comportamento da leitora, determinou sancioná-la com o não consumo de água por um determinado período de tempo (um corte de água). Sanção dura, bem gravosa, e que tem como finalidade levá-la a, no futuro, não se portar mal, nesta matéria, bem como deixar um sinal à restante comunidade de consumidores de água (eu incluído) que, quando se faz algo mal é-se sancionado, punido com assertividade.