Covid-19: mais 167 mortes e 3480 novos casos. Internamentos voltam a diminuir

Há dois meses que não havia uma quarta-feira com tão poucos casos. Estão hospitalizadas menos 259 pessoas do que no dia anterior. Em três dias houve menos 774 internamentos.

Foto
Manuel Roberto

Portugal registou mais 167 mortes por covid-19 e 3480 novos casos de infecção na quarta-feira, de acordo com o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS) desta quinta-feira. O número de vítimas mortais sobe assim para 14.885 e o total de infectados ascende a 778.369 desde o início da pandemia.

Ainda que o número de mortes tenha sido superior ao reportado no relatório de situação anterior (161 mortes, o valor mais baixo desde 17 de Janeiro), os números divulgados esta quinta-feira mantêm a tendência decrescente que se tem vindo a verificar nos últimos dias. O número de óbitos ainda é elevado, mas é o terceiro dia em quatro com menos de duas centenas, depois de 20 relatórios consecutivos com registos acima deste patamar.

Em relação ao número de casos, foram identificados na quarta-feira menos 907 do que no dia anterior. As 3480 novas infecções identificadas são o registo mais baixo apresentado num boletim epidemiológico de quinta-feira desde 10 de Dezembro, quando foram detectadas 3134 infecções.

O relatório de situação actualizado indica que há 5570 pessoas internadas, menos 259 do que no dia anterior, estando 836 nos cuidados intensivos (menos 17). Estes indicadores diminuem há três dias consecutivos: nos últimos três dias registam-se menos 774 internados e o número de internamentos é o mais baixo desde 20 de Janeiro, quando se contavam 5493 (na altura um recorde).

O número de doentes recuperados aumentou para 645.122, com mais 8263 na quarta-feira. Cerca de 83% dos doentes identificados em Portugal já foram considerados recuperados da infecção causada pelo vírus SARS-CoV-2. Excluindo estes casos e as vítimas mortais, há menos 4950 casos activos do que no dia anterior, para um total de 118.362 (15,2% do total).

A taxa de letalidade global é de cerca de 1,8%, aumentando para 11,3% no caso de doentes com mais de 70 anos (12.232 mortes em 115.198 casos) e sobe ainda outro degrau, para os 15,5%, se só considerarmos infectados com 80 ou mais anos (9957 mortes em 64.092 casos).

A região de Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a que está mais afectada pela pandemia neste momento, totalizando cerca de metade das mortes e dos novos casos (86 e 1846, respectivamente). Segue-se o Norte, com mais 39 mortes e 709 casos (tem o máximo nacional do total acumulado, com 319.836).

Há ainda registo de mais 22 mortes e 518 novos casos no centro, 11 mortes e 101 novas infecções no Alentejo, seis óbitos e mais 146 infecções no Algarve, três mortes e 152 casos na Madeira e seis infecções nos Açores.