Pessoas cuja necessidade de atenção é impossível de satisfazer

Não são raras pessoas assim como Maria Augusta Sousa, mas são cada vez mais preciosas. Sugiro que lhes demos mais atenção a elas — e não àquelas cuja necessidade de atenção é, de qualquer forma, impossível de satisfazer.

Somos seres sociais e todos temos, de uma forma ou de outra, necessidade de reconhecimento. E agora vivemos numa economia da atenção. Ora, o reconhecimento pode vir de muitas formas — o respeito, o mérito, a reputação, o carinho — mas a atenção só precisa de uma coisa: de atenção. É esse o objetivo.