Mais de dois anos depois de ser varrido pelo Leslie, Choupal vai ser reabilitado

Mata nacional às portas de Coimbra ter uma operação de fundo que implica a plantação de 5000 mil árvores e o abate ou pode de outras 700.

Foto
Adriano Miranda

Vai arrancar a operação de requalificação da Mata Nacional do Choupal, em Coimbra, uma mancha verde de 79 hectares que, em 2018, sofreu o impacto do furacão Leslie. Nos meses que se seguiram à passagem da intempérie que provocou avultados danos na zona Centro, a Mata do Choupal permaneceu encerrada por vários meses, período durante o qual decorreram as intervenções mais urgentes.  <_o3a_p>

Mas só agora, mais de dois anos depois do Leslie, vai começar a recuperação de fundo que abrange 64,7 hectares da mata e que tem um custo de 98 mil euros, num investimento apoiado por fundos comunitários, no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) 2020. Nesta quarta-feira, na apresentação do projecto, a Directora Regional da Conservação da Natureza e Florestas do Centro, Fátima Reis, explicou que a demora em avançar com os trabalhos no terreno se deve à burocracia. “Tivemos a preocupação de submeter imediatamente a candidatura” ao PDR 2020, logo a seguir ao Leslie, referiu a responsável. No entanto, “os procedimentos de uma candidatura envolvem muito tempo”, justificou.  <_o3a_p>

A intervenção que começa na quinta-feira e que, de acordo com Fátima Reis, vai levar entre 50 a 55 dias, implica corte e remoção de árvores afectadas, algumas das quais “estão secas, partidas e com feridas sintomáticas” e que, por esses motivos, “apresentam risco de queda”, lê-se no texto distribuído aos jornalistas. Serão também podadas árvores sãs, com recurso a “pessoal de escalada especializado”, para recolher ramos partidos ou secos ou que possam provocar desequilíbrios na copa. Entre abates e podas, serão intervencionadas 700 árvores. <_o3a_p>

A reabilitação do Choupal passa também pela rearborização de clareiras e pelo controlo de espécies invasoras. Está prevista a plantação de 5000 árvores de espécies autóctones como carvalhos, freixos, choupos, nogueiras, amieiros, entre outros. <_o3a_p>

Outra das vertentes da intervenção é a requalificação de caminhos na mata, numa área de 4,5 hectares. Também presente na apresentação do projecto, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado, sublinhou a importância que esta mancha verde tem para a cidade. <_o3a_p>