“Eu se quiser ser boa mãe, sou má trabalhadora. E vice-versa”

Em teletrabalho para call centers, Daniela, Rita e Margarida estão com os filhos, mas é como se estes estivessem sozinhos em casa. A função que exercem tem poucas pausas e quase nenhumas interrupções.

covid19,coronavirus,criancas,familias,empresas,sociedade,
Fotogaleria
“Estou a chegar ao meu limite", diz Daniela Lista, que está em teletrabalho com os filhos em Elvas. Ricardo Lopes
teletrabalho,covid19,criancas,familias,empresas,sociedade,
Fotogaleria
Ricardo Lopes
covid19,coronavirus,criancas,familias,empresas,sociedade,
Fotogaleria
"Vamos ficar outra vez sozinhos?", pergunta o mais pequenino quando a mãe se senta à secretária. Ricardo Lopes
covid19,coronavirus,criancas,familias,empresas,sociedade,
Fotogaleria
Ricardo Lopes
covid19,coronavirus,criancas,familias,empresas,sociedade,
Fotogaleria
Daniela evita entreter os filhos com um tablet. "Eu quero que eles brinquem." Ricardo Lopes

Quando os filhos estão na escola, Daniela chega a atender 52 chamadas por dia. É essa a média na empresa; o desempenho geral esperado. Agora com os dois filhos em casa não chega a metade. Mesmo assim, sente que não lhes dá a atenção devida. Inês, de quatro anos, e Francisco, de três, perguntam-lhe: “Vamos ficar outra vez sozinhos?”.