Parecer do MP contra exercício de cargo de advogado perdido nove meses no Parlamento

Procuradora-geral da República remeteu para deputados documento que defendia renúncia de vice-presidente da Ordem dos Advogados.

Foto
MIGUEL PEREIRA DA SILVA

Um parecer que aponta para a incompatibilidade entre o exercício do cargo de vice-presidente da Ordem dos Advogados e simultaneamente de membro do Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) por parte do advogado Rui da Silva Leal, eleito pelo Parlamento em 2019, ficou “perdido” durante nove meses na Assembleia da República.