Desporto(s) e desportista(s)

Que tal, pelo menos de vez em quando, uma “jogada de antecipação” para bem do planeamento e desenvolvimento do desporto português ou, elas palavras de sempre, deste infeliz país.

1. Quem diz desporto não cobre uma realidade uniforme. Com efeito, numa primeira leitura, as pessoas têm do desporto a sua própria visão. Uns desejam participar em competições desportivas organizadas por entidades desportivas, quiçá alcançarem títulos e recordes. Outras, preferem afastar-se desse ambiente altamente regulamentado e assumir um caminho autogestionário ou informal. Umas fazem por motivos de saúde e outras ainda pela busca de alguma socialização ou mesmo da natureza e da afirmação dos valores ambientais. Outros, ainda, como profissão. Por outro lado, esta realidade projecta-se em diversos sectores: federado, não federado, militar, escolar, universitário, etc. O direito ao desporto, como direito fundamental, tem elasticidade suficiente para abranger todas essas visões de deporto e de desportista.