Segurança diz que ouviu gritos de Ihor quando ele estava com outros seguranças e com inspectores do SEF

A segurança Ana Lobo fez um depoimento com várias contradições ao tribunal, onde os três inspectores do SEF estão a ser julgados por homicídio qualificado de Ihor Homenyuk a 12 de Março de 2020. Já tinha relatado à PJ que ouvira gritos da sala quando lá estavam os arguidos, mas não havia referido o mesmo sobre os seguranças.

Foto
Daniel Rocha

Ana Lobo, segurança da Prestibel, que passou a noite de 11 para 12 de Março no centro de instalação temporária (CIT) do aeroporto do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) onde Ihor Homenyuk morreu, relatou ao tribunal que durante a intervenção dos três arguidos ouviu gritos do cidadão durante pelo menos 10 minutos. Mas disse ainda que ouviu igualmente gritos de Ihor quando os dois colegas seguranças, Paulo Marcelo e Manuel Correia, estiveram a sós com Ihor Homenyuk, por três a cinco minutos. Ana Lobo já tinha relatado à PJ que ouvira gritos da sala quando lá estavam os arguidos, sem especificar o tempo que duraram, mas não havia referido o mesmo sobre os seguranças.