Votações da árvore europeia do ano começaram – e está lá o plátano de Portalegre

A árvore vencedora será anunciada a 17 de Março.

Foto
Plátano do Rossio de Portalegre João Cardoso

Já começaram as votações para o Concurso Europeu da Árvore do Ano 2021. Entre as 14 árvores em competição está o plátano do Rossio de Portalegre, que foi escolhida como a árvore portuguesa de 2021. As votações decorrem até 28 de Fevereiro.

Este concurso é uma final da qual fazem parte vencedores do concurso nacional feito pelos países. O representante português – o plátano do Rossio de Portalegre – foi plantado em 1838 (tem agora 182 anos) pelo médico e botânico José Maria Grande. Numa zona central da cidade de Portalegre, este é um dos maiores plátanos da Península Ibérica.

“De porte majestoso, guarda em si, nas suas longas e robustas pernadas, anos e anos de memórias colectivas e segredos infindáveis”, descreve-se num comunicado da União da Floresta Mediterrânica – UNAC, que organiza o concurso a nível nacional. A nível europeu é da responsabilidade da Associação de Parceria Ambiental (EPA). Debaixo do plátano nasceram clubes, associações e bandas filarmónicas.

Entre os seus concorrentes, tem uma azinheira de Espanha; uma sorveira da Escócia; um carvalho da Eslováquia; um plátano da Rússia; um outro plátano de Itália; uma tília da Polónia; uma outra tília dos Países Baixos; uma olaia da Hungria; um lodão da Croácia; um choupo de França; uma macieira da República Checa; uma amoreira da Bulgária; e um castanheiro da Bélgica.

Embora as votações decorram até 28 de Fevereiro, a partir de 22 de Fevereiro tornam-se secretas. A árvore vencedora será anunciada a 17 de Março durante a conferência “Plantando para o Futuro: 3 mil milhões de árvores na Europa”.

Em 2018, o Sobreiro Assobiador da aldeia de Águas de Moura (no concelho de Palmela) ficou em primeiro lugar no concurso europeu. Depois, em 2019, a Azinheira Secular do Monte do Barbeiro, situada a cerca de sete quilómetros da aldeia de Alcaria Ruiva, no concelho de Mértola, ficou em terceiro lugar. Já a árvore portuguesa de 2020 foi o castanheiro de Vales, em Tresminas, no concelho de Vila Pouca de Aguiar, ficou em sexto lugar a nível europeu.