General Motors cessa produção de carros a gasolina e gasóleo em 2035

Com novo presidente e nova política ambiental em Washington, fabricante automóvel estabelece prazo de 15 anos para passar toda a produção de veículos de passageiros para modelos eléctricos

Foto
Reuters/Harrison McClary

O grupo automóvel dono das marcas Chevrolet e Cadillac anunciou esta semana que irá descontinuar lentamente, até 2035, a produção de veículos de passageiros movidos a gasolina e gasóleo, optando pelos veículos eléctricos.

Em Novembro, o grupo automóvel liderado por Mary Barra já tinha anunciado que iria investir 27 mil milhões de dólares (22,26 mil milhões de euros ao câmbio actual) na produção de veículos eléctricos e autónomos nos próximos cinco anos.

A companhia, que também tem como meta tornar-se neutra em emissões de carbono até 2040, vendeu 2,55 milhões de carros nos EUA no ano passado, mas destes apenas 20 mil eram veículos eléctricos.

“Estamos a tomar medidas para que possamos eliminar as emissões [poluentes] pelo tubo de escape até 2035”, afirmou esta quinta-feira Dane Parker, administrador da GM com o pelouro da sustentabilidade, em conferência de imprensa, citado pela Reuters.

A GM avançou ainda que irá obter fontes de energia 100% renováveis para as suas fábricas nos EUA até 2030 e para as restantes unidades que detém no resto do mundo até 2035 – antecipando assim a meta anterior em cinco anos.

O anúncio, bem recebido pelo mercado – as acções encerraram na quinta-feira a ganhar 3,5% em Wall Street – ocorre uma semana depois de Joe Biden assumir o lugar de presidente dos EUA, com uma agenda ambiciosa na área ambiental. O sucessor de Donald Trump anunciou na passada segunda-feira que pretende substituir a frota de cerca de 650 mil viaturas do seu governo por veículos eléctricos.