Bombeiros vão ser vacinados antes dos presidentes de câmara

15 mil bombeiros vão ter prioridade nas vacinas pelo trabalho de assistência a doentes

Foto
São cerca de 15 mil bombeiros (de um total de cerca de 30 mil existentes em Portugal) a serem vacinados já. Nuno Ferreira Santos

Os bombeiros que tiverem funções com mais proximidade com o Serviço Nacional de Saúde vão ser vacinados antes dos presidentes de câmara, soube o PÚBLICO junto do Ministério da Administração Interna. Foi atribuída aos presidentes de câmara prioridade na vacina pelo facto de serem, no respectivo concelho, a autoridade máxima de Protecção Civil.

São cerca de 15 mil bombeiros (de um total de cerca de 30 mil existentes em Portugal) a serem vacinados já, devido às funções que desempenham no transporte de doentes, na ajuda pré-hospitalar e nas salas de controlo de operações.

A lista do Supremo Tribunal de Justiça para a vacinação contempla 25 pessoas e apenas três são juízes conselheiros: o presidente António Joaquim Piçarra e os dois vices, Maria dos Prazeres Beleza e Olindo Geraldes. Ao que o PÚBLICO apurou junto de fonte do STJ, os restantes são funcionários judiciais. “O critério foi quem está na linha da frente do trabalho e a maior parte dos juízes conselheiros está a despachar em casa”, sublinhou a mesma fonte.

Foi esta terça-feira publicado em Diário da República o despacho em que o Governo solicita aos vários órgãos de soberania que indiquem a ordem em que os seus membros serão vacinados. Para Manuel Ramos Soares, presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses, “nos serviços críticos considerados prioritários para vacinação, o critério de escolha das pessoas tem de atender ao risco da função que desempenham e não ao seu título ou posição hierárquica. Nos tribunais, se incluírem os serviços críticos, terá de se começar pelas pessoas mais expostas, independentemente de serem magistrados ou funcionários de justiça”.

Na Assembleia da República, Ferro Rodrigues apresenta esta quinta-feira a sua decisão à conferência de líderes: vacinar os deputados segundo a ordem estabelecida no protocolo de Estado. Isto significa que o primeiro a ser vacinado será o Presidente da Assembleia da República e o segundo o líder da oposição, Rui Rio. Seguem-se os outros líderes partidários que sejam deputados – Jerónimo de Sousa, do PCP; Catarina Martins, do Bloco de Esquerda; André Silva, do PAN; André Ventura, do Chega e João Cotrim de Figueiredo, da Iniciativa Liberal. Mas todos estes dirigentes manifestaram reservas a terem prioridade na vacinação – ou recusaram-se peremptoriamente.

No Governo, o primeiro a ser vacinado será o primeiro-ministro e, em seguida, deveriam ser os quatros ministros de Estado – mas só Augusto Santos Silva e Mariana Vieira da Silva serão vacinados, já que João Leão e Pedro Siza Vieira estão com Covid.