Economia europeia perde mais terreno para os EUA durante a pandemia

Rigidez dos confinamentos, dimensão dos estímulos orçamentais, peso do sector do turismo, importância do sector tecnológico e flexibilidade na realocação dos recursos são factores avançados por economistas para explicar a diferença de desempenho entre Europa e EUA nesta crise

Foto
LUSA/IAN LANGSDON

No cada vez mais desequilibrado duelo com os EUA e a China pela liderança da economia mundial, as economias europeias deverão sair da pandemia com ainda mais terreno por recuperar. Nas primeiras projecções feitas por uma grande instituição internacional este ano, os países da zona euro (e também o Reino Unido) viram a sua data de regresso aos níveis pré-crise ficar ainda mais distante da das outras grandes potências económicas mundiais, um novo revés que repete aquilo que já tinha acontecido há dez anos.