Presidenciais: João Ferreira, o candidato que se afirmou como rosto de futuro do PCP

Nestas eleições consegue subir o resultado percentual dos comunistas e ultrapassou Marisa Matias.

presidenciais-2021,joao-ferreira,politica,
Fotogaleria
LUSA/PAULO NOVAIS
presidenciais-2021,joao-ferreira,politica,
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
presidenciais-2021,joao-ferreira,politica,
Fotogaleria
Paulo Pimenta
presidenciais-2021,joao-ferreira,politica,
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA/PUBLICO
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA/PUBLICO

A tarefa de João Ferreira era ultrapassar o resultado de Edgar Silva, que há cinco anos tinha tido a pior prestação para os comunistas (183 mil votos), vencendo apenas no concelho de Avis.

O candidato da Constituição, como assim ficou conhecido durante a campanha, jurou “defender, cumprir e fazer cumprir” a lei fundamental da República repetidas vezes. De tal forma que isto se tornou na principal imagem de marca do biólogo de 42 anos.

Nestas eleições consegue consegue subir o resultado dos comunistas em termos percentuais, apesar de não ter tido mais votos do que Edgar Silva há cinco anos. Histórica é a derrota o bastião comunista de Avis, distrito de Portalegre, onde apenas António Abreu tinha perdido, em 2001, contra Sampaio.

Reúne mais de 177 mil votos (4,3%), que lhe dão um quarto lugar, à frente de Marisa Matias, Tiago Mayan e Vitorino Silva.

Depois destas eleições, João Ferreira ganha peso adicional como figura de relevo dentro do Partido Comunista Português, tornando-se mais evidente de que poderá ser uma hipótese a considerar para o lugar de secretário-geral dos comunistas.