Indústria ajusta turnos mas receia indefinição sobre ano lectivo

Trabalhadores em casa levam Autoeuropa a cortar turnos. Na Riopele, receia-se tomar uma decisão para 15 dias e depois ver prolongado o fecho das escolas.

Foto
Numa das mais antigas fábricas têxteis do país, José Alexandre Oliveira, da Riopele, antevê riscos acrescidos para as empresas que ficaram sem o layoff simplificado Anna Costa (arquivo)

A indústria escapou ao encerramento decretado pelo Governo com o novo confinamento, mas não evita o impacto da suspensão das aulas. Empresas como a têxtil Riopele (Famalicão), uma das mais antigas do país, e a Autoeuropa (Palmela), que é a maior exportadora nacional, já contam com a previsível ausência de trabalhadores a partir da próxima semana. São pais e mães que vão ficar em casa com filhos cujas escolas encerraram.