João Sousa falha Open da Austrália após ter estado infectado com covid-19

O número um português não falhava um Grand Slam desde Roland Garros 2011.

Foto
João Sousa Reuters/CARL RECINE

Aquilo que já se suspeitava, foi confirmado pelo próprio João Sousa: “É com muita tristeza que vos dou a conhecer que não poderei viajar para a Austrália este ano. Testei positivo à covid-19 na véspera da minha viagem e desde então tenho estado em confinamento e em contacto com a organização do Australian Open na procura de uma solução que acabou por não acontecer.”

O melhor tenista português acrescentou que já testou negativo posteriormente, mas uma eventual participação no Open da Austrália iria ser de impossível realização em tempo útil, pois teria que pedir um visto, viajar num voo comercial e, à chegada, ficar 14 dias em quarentena antes do início do torneio, a 8 de Fevereiro.

“Depois de uma boa pré-temporada e de trabalho duro, estou naturalmente muito triste pelo facto de não poder competir na Austrália de onde tenho óptimas memórias e sabendo que a Federação Australiana e o Tour fizeram um esforço enorme para nos dar a oportunidade de competir nesse fantástico torneio”, afirmou João Sousa, que poderá voltar a competir em torneios challenger, se não quiser esperar pelo final de Fevereiro, para regressar ao circuito ATP.

O Open da Austrália de 2021 seria o primeiro Grand Slam da história a contar com a presença de três portugueses no quadro principal masculino, algo que já não irá acontecer devido à ausência de João Sousa, que se perspectivava já há vários dias, uma vez que o jogador ainda não tinha viajado para aquele país, onde teria de cumprir uma quarentena antes do início do “major”, em 8 de Fevereiro.

A representação lusa ficará assim a cargo de Pedro Sousa (107.º) e Frederico Silva (182.º), que está a cumprir isolamento até ao final do mês num quarto de hotel em Melbourne, após ter viajado num voo em que foram detectados, a posteriori, casos de covid-19.

O número um português não falhava um Grand Slam desde Roland Garros 2011, tendo marcado presença em 37 consecutivos, e o quadro principal de um major desde o Open dos Estados Unidos em 2013.