Fechar os tribunais é uma questão de bom senso

Para quem trabalha nos tribunais, é uma evidência que, face à gravidade da situação que vivemos, constitui uma violência e um risco desnecessário continuar a fazer julgamentos e diligências judiciais que não sejam urgentes. Estamos, por todo o lado, a fechar postigos e, no mundo da justiça, a abrir cadafalsos...

A manutenção dos tribunais em pleno funcionamento, na situação da pandemia em que vivemos, será uma conquista da Ordem dos Advogados dirigida pelo Professor Doutor Luís Menezes Leitão, mas não é, seguramente, uma vitória para os advogados que diariamente trabalham nos tribunais nem para os cidadãos, em geral, legitimamente preocupados com a propagação do vírus. Face ao discurso do Governo, pode-se mesmo dizer que é uma medida incompreensível e absolutamente contraditória com todas as medidas de confinamento que têm vindo a ser defendidas e instauradas.