Já começou a contar o relógio para advogados e consultores revelarem esquemas fiscais

Profissionais que prestam aconselhamento tributário arriscam coimas até 80 mil euros se não revelarem ao fisco casos de planeamento que permitem vantagens fiscais ou menor transparência nos investimentos.

Foto
A transferência de activos para jurisdições não cooperantes a nível fiscal tem de ser comunicada ao fisco Rui Gaudêncio

O relógio começou a contar a 1 de Janeiro: a partir de agora, os bancos, advogados, consultores fiscais, gestores de património, contabilistas, revisores oficiais de contas e outros profissionais da área financeira têm de cumprir novas obrigações perante o fisco sempre que tenham conhecimento de esquemas de planeamento tributário com um risco de evasão.