Incidente da sexta substituição faz subir pressão no balneário da Roma

Plantel terá pedido explicações a Paulo Fonseca, na sequência do episódio que afastou dois funcionários do clube.

Foto
LUSA/ETTORE FERRARI

É o tema do momento na capital italiana. O erro primário cometido pela Roma diante do Spezia, nos oitavos-de-final da Taça de Itália, ainda dá que falar e, segundo a imprensa transalpina, os jogadores terão pedido explicações a Paulo Fonseca sobre o sucedido. Isto porque dois dos membros do staff estarão de saída do clube na sequência do incidente.

Recapitulemos. Na terça-feira à noite, a Roma foi duplamente surpreendida na Taça. Primeiro pela exibição do Spezia, que no relvado do Estádio Olímpico garantiu a passagem à próxima eliminatória, com um triunfo por 2-4; depois pelo rocambolesco episódio da substituição de Fuzato, aos 95’, que violou os regulamentos.

Foto

Num jogo com muitas incidências (duas expulsões na Roma) e direito a prolongamento, a equipa da capital não se apercebeu de que já tinha atingido o limite das substituições e avançou para uma sexta alteração para a baliza - precisamente depois do cartão vermelho mostrado ao guarda-redes Pau López. Ora, acontece que, já na altura, foram visíveis imagens de Pellegrini a tentar avisar Paulo Fonseca de que já tinham sido realizadas cinco mexidas. 

O alerta caiu em saco roto, Daniel Fuzato (que esteve emprestado ao Gil Vicente) entrou mesmo em campo e a Roma, que acabaria por perder no relvado, sofrerá também consequências na secretaria, com a desqualificação por ter violado os regulamentos. 

O Estado-Maior romano reuniu-se no dia seguinte e tudo aponta para que o team manager Gianluca Gomber e o delegado ao jogo Manolo Zubiria tenham sido responsabilizados e estejam de saída do clube. Um desfecho que não terá agradado aos jogadores, que já expressaram o descontentamento junto de Paulo Fonseca.

Nesta quinta-feira, de acordo com os jornais Gazzetta dello Sport e o Corriere dello Sport, Edin Dzeko e Lorenzo Pellegrini terão pedido explicações ao treinador português e reclamado a reintegração dos dois elementos afastados. De resto, o treino, que estava previsto para o final da manhã, acabou mesmo por ser adiado para a tarde.

A permanência de Paulo Fonseca no cargo não estará, para já, em risco, e a direcção da Roma espera uma resposta diferente já na próxima partida. Uma partida que curiosamente volta a colocar o Spezia no caminho dos romanos, desta vez para o campeonato, no sábado à tarde (14h).