Um buffet de cinema em alemão, este ano entregue ao domicílio

A 18.ª Kino – Mostra de Cinema de Expressão Alemã arranca esta quinta-feira. Na impossibilidade de chegar fisicamente às salas, instala-se na plataforma Filmin até dia 27, “abrindo” com Berlin Alexanderplatz.

cultura,rainer-werner-fassbinder,cinema,culturaipsilon,festival-berlim,alemanha,
Fotogaleria
"Rivale" de Marcus Lenz, na secção Perspectivas
cultura,rainer-werner-fassbinder,cinema,culturaipsilon,festival-berlim,alemanha,
Fotogaleria
A cor da pele na ex-RDA sob análise em "Becoming Black" de Ines Johnson-Spain, na secção Realidades
cultura,rainer-werner-fassbinder,cinema,culturaipsilon,festival-berlim,alemanha,
Fotogaleria
"In the Name of Scheherazde" de Narges Kalhor
cultura,rainer-werner-fassbinder,cinema,culturaipsilon,festival-berlim,alemanha,
Fotogaleria
"Becoming Black" de Ines Johnson-Spain, na secção Realidades

A 18.ª edição da Kino – Mostra de Cinema de Expressão Alemã não será como as outras. As novas medidas de contenção da covid-19, e o encerramento forçado das salas, vieram trocar às voltas à organização, que previra uma edição a correr em simultâneo no Cinema São Jorge, em Lisboa, e online, através da plataforma de video on demand Filmin. Assim sendo, desta quinta-feira e até ao próximo dia 27 a mostra instalar-se-á exclusivamente nos ecrãs domésticos de todo o país, com abertura oficial marcada para as 21h, altura em que fica disponível o filme Berlin Alexanderplatz, de Burhan Qurbani, com o luso-guineense Welket Bungué no papel principal. Os restantes filmes — 16 ao todo — chegarão à Filmin a partir de sexta-feira e ali permanecerão durante toda a duração da mostra.