Novo máximo de mortes por covid-19 em Portugal. Internamentos quase duplicaram desde 1 de Janeiro

Morreram no domingo mais 167 pessoas devido à covid-19. Internamentos não param de aumentar desde o Ano Novo – hospitalizações subiram 84% desde então. Esta é a segunda-feira com o maior número de casos notificados desde o início da pandemia.

Portugal registou mais 167 mortes por covid-19, um novo máximo diário de vítimas mortais que suplanta as 166 divulgadas no boletim de sábado. O relatório de situação desta segunda-feira da Direcção-Geral da Saúde (DGS) indica ainda que foram identificadas 6702 novas infecções no domingo. 

Os internamentos não param de aumentar há 17 dias: esta segunda-feira há registo de mais 276 hospitalizações durante o dia de domingo, o segundo valor mais alto registado em Portugal, apenas mais baixo que os 316 internamentos registados a 2 de Abril. O número de doentes internados subiu assim para 5165, um aumento de 84% desde a passagem de ano.

Em matéria de infectados em unidades de cuidados intensivos, há agora mais 17 para um total de 664.

O país soma 9028 mortes e 556.503 casos desde o início da pandemia do vírus SARS-CoV-2.

O número diário de mortes continua a aumentar: nos últimos oito dias o máximo diário foi ultrapassado seis vezes. Em média, morreram covid-19 em Portugal 121 pessoas por dia em 2021, um número bem superior à média já alta de 77 óbitos diários no mês de Dezembro.

Já houve um total de 2056 mortes nos primeiros 17 dias do ano – foram precisos 207 para se contabilizarem as primeiras 2062 por covid-19 em Portugal (de 16 de Março, dia do primeiro óbito confirmado, até 8 de Outubro).

O número de casos identificados é o mais baixo desde 11 de Janeiro, quando foram reportadas 5604 novas infecções, e quebra uma sequência de cinco dias consecutivos com mais de dez mil casos diários. É, no entanto, a segunda-feira com o valor diário mais alto desde o início da pandemia (dados relativos a domingo). As notificações costumam ser mais baixas no início da semana devido ao menor número de testes processados durante o fim-de-semana.

Há mais 4660 pessoas recuperadas, aumentando o total de recuperações no país para 411589. Excluindo estes casos e os óbitos, há 135.886 casos activos em Portugal, mais 1875 do que no dia anterior.

Dos 6702 casos registados, Lisboa e Vale do Tejo foi a região com mais infecções identificadas, com 2643, seguida de perto pela região Norte, que contabilizou na terça-feira 2109. Seguem-se o Centro, com 1217 casos; o Alentejo com 258  novas infecções, o Algarve com 239 casos; a Madeira com 137 casos; e os Açores com 99 infecções.

Lisboa e Vale do Tejo foi também a região que somou mais mortes, com 70. A região Norte teve registo de mais 42, seguida do Centro, com 38. Ainda houve outras 14 mortes no Alentejo e 6 no Algarve.

A taxa de letalidade global é de 1,62%, subindo para 9,8% nos casos de infectados com 70 ou mais anos. Neste grupo etário encontra-se 88% das vítimas mortais (6860 das 7803).

O Norte continua a ser a região mais afectada desde o início da pandemia, com 3760 mortes em 258.317 casos. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 3244 vítimas mortais e 186.706 infecções identificadas.

Há também registo de 1440 mortes em 74.568 casos no Centro; 414 óbitos e 18.458 infecções no Alentejo; 122 vítimas mortais e 12.699 casos de infecção no Algarve; 3011 casos notificados e 22 mortes nos Açores; e 2744 infecções e 26 mortes na Madeira.