O candidato pop-up, o sem travões e o doutrinador

À direita, Marcelo, Ventura e Mayan optaram por estratégias de campanha muito diferentes: enquanto o líder do Chega dá a volta a Portugal, o candidato liberal aposta em discutir a ideologia e o ainda Presidente aparece sem avisar.

eleicoes-presidenciais,ventura,marcelo-rebelo-sousa,politica,eleicoes,marine-le-pen,
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ
eleicoes-presidenciais,ventura,marcelo-rebelo-sousa,politica,eleicoes,marine-le-pen,
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
eleicoes-presidenciais,ventura,marcelo-rebelo-sousa,politica,eleicoes,marine-le-pen,
Fotogaleria
daniel rocha

O ar desconcertado de Manuel Salvador no meio da Rua do Instituto Bacteriológico sob o sol da uma da tarde diz quase tudo sobre o estilo de campanha de Marcelo Rebelo de Sousa. Nem o administrador da Faculdade de Ciências Médicas tinha sido avisado da visita-relâmpago do candidato, na sexta-feira. No primeiro dia de confinamento obrigatório, Marcelo resolveu estrear-se de surpresa na campanha eleitoral – com esta já no sexto dia – e foi visitar a Mercearia Social Valor Humano da lisboeta Junta de Freguesia de Santo António (“Olhe, estou a caminho daí”, disse por telefone a Vasco Morgado, o presidente, quando já estava no carro).