Casos de infecção na Visteon, em Palmela, preocupam sindicatos

Relatos de casos de covid-19 na área fabril da Visteon, em Palmela, levaram sindicatos a pedir reunião urgente à administração.

Foto
Imagem representativa de um teste PÚBLICO

O aumento de casos de infecção por covid-19 na fábrica da Visteon, em Palmela, está a preocupar os trabalhadores e sindicatos, que aguardam por uma reunião com a empresa.

A delegada do Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas (SIESI), Lúcia Silva, revelou ao PÚBLICO que a comissão sindical contabilizou “por alto, cerca de 30 pessoas com covid-19”, de um total de 60 que estarão em casa em isolamento ou em assistência aos filhos.

Estes trabalhadores são “essencialmente da área fabril”, disse a delegada sindical, frisando que os números oficiais ainda não foram confirmados pela gestão da empresa, à qual já foram pedidas respostas na semana passada.

“Aquilo que temos observado é que assim que uma pessoa revela sintomas, é levada ao posto médico, fica em isolamento e faz o teste rápido”, relatou Lúcia Silva ao PÚBLICO. O mesmo acontece com alguns colegas com os quais tenha tido contacto mais próximo.

“O nosso receio é que esses colegas, se tiverem testes negativos, ficam na empresa, e perguntamo-nos se não seria melhor que ficassem em isolamento” porque o resultado do teste pode não ser fiável.

A linha também é desinfectada de turno para turno para minimizar o risco de contágios, embora, segundo a delegada sindical, haja informação de que “no quarto turno [que começa à uma da manhã] isso não está a acontecer”.

Sabendo que “os casos têm estado a acontecer, pedimos com carácter urgente uma reunião aos recursos humanos e estamos a aguardar”, adiantou.

Na fábrica da Visteon trabalham cerca de 1040 pessoas e a produção tem estado a “decorrer normalmente”.

O PÚBLICO tentou contactar a gestão da fábrica de Palmela a propósito deste tema, mas recebeu a indicação de que deverá voltar a tentar fazer o contacto na próxima segunda-feira.