Covid-19. Portugal regista novo máximo diário de casos. Nunca houve tantos internados

Portugal tem, pela primeira vez, mais de 600 doentes nos cuidados intensivos e o número de pessoas internadas também é o mais alto de sempre. Há 10.698 novos casos de infecção (um novo máximo) e 148 vítimas mortais a registar.

Portugal voltou a registar, esta quarta-feira, um novo máximo diário de casos de covid-19. Foram diagnosticadas 10.698 infecções, uma ligeira subida em relação aos 10.556 casos registados no dia anterior. Morreram mais 148 pessoas, uma ligeira redução em comparação com os números de terça-feira, quando foi registado um novo máximo de vítimas mortais (155 mortes).

Desde o início da pandemia, o país soma 8384 vítimas mortais e 517.806 casos identificados. Os números foram revelados esta quinta-feira pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), mas dizem respeito à totalidade do dia de quarta-feira.

Mantém-se a tendência de aumento dos doentes internados que se tem vindo a verificar nos últimos dias, mas os números que constam do boletim representam novos máximos, tanto de doentes internados como de pessoas que estão hospitalizadas em unidades de cuidados intensivos. Há mais 128 doentes internados (4368 no total) — o número mais alto alguma vez registado. Há 611 doentes nas unidades de cuidados intensivos (mais 15 do que no dia anterior). É a primeira vez, desde o início da pandemia, que Portugal tem mais de 600 doentes em cuidados intensivos.

Grande parte das vítimas mortais tinha mais de 80 anos (87 mortes) e entre os 70 e os 79 anos (34 óbitos). Foram ainda registadas 20 mortes em pessoas entre os 60 e os 69 anos e três entre os 50 e os 59 anos. Morreram ainda quatro pessoas entre os 40 e os 49 anos. Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas, 4360 são homens e 4024 são mulheres. Das 8384 pessoas que morreram até à data com covid-19 em Portugal, 5639 tinham acima de 80 anos, o que corresponde a cerca de 67%.

Há ainda a reportar mais 5063 casos recuperados, num total de 387.607, e um número semelhante de casos activos (mais 5487, 121.815, no total). Mais de 8100 pessoas estão a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde, num total de 138.992 contactos “em vigilância”.

Foi na região de Lisboa e Vale do Tejo que se registou o maior número de novos casos (4071) e de óbitos (71). Na região Norte foram registados 3461 novos casos e 35 óbitos e na região Centro 2128 novas infecções e 29 mortes.

O Norte continua a ser a região com o maior número de casos acumulados: 245.670 e 3604 mortes — é a zona do país com o maior número de vítimas mortais e com mais casos. Lisboa e Vale do Tejo é a segunda: são 171.618 os registos de infecção e 2981 mortes por covid-19. Já o Centro tem 67.312 infecções e 1298 mortes. O Alentejo totaliza 16.725 casos (520 novos) e 356 mortes (mais nove). No Algarve, há 11.382 casos de infecção (mais 400) e 101 óbitos (mais dois). A Madeira registou 2317 casos de infecção (61 novos) e 22 mortes desde o início da pandemia (mais duas). Já os Açores registam 2782 casos (mais 57) e 22 mortes.