Cento e dezoito militares portugueses a caminho do Afeganistão

Depois do acordo dos Estados Unidos com os talibans, missão termina em finais de Maio.

Foto
Militar da NATO numa patrulha noturna no Afeganistão Finbarr O'Reilly

Na madrugada desta quinta-feira partiram 118 militares da 6.ª Força Nacional Destacada (6ªFND) para o Afeganistão, no âmbito da missão da NATO Resolute Support Mission, que assumirá a missão de garantir a segurança do Aeroporto Internacional de Hamid Karzai, em Cabul, revelou em comunicado o Ministério da Defesa Nacional.

A 6ª FND é constituída por uma Força de Reacção Rápida (154 militares) e um National Support Element (16 militares) e integra um total de 170 militares do Exército português, com um pelotão da Brigada Mecanizada, um da Zona Militar dos Açores e um terceiro da Zona Militar da Madeira. Os restantes 52 militares que integram esta força irão juntar-se no próximo dia 24.

A secretária de Estado de Recursos Humanos e Antigos Combatentes, Catarina Sarmento e Castro, e o Chefe do Estado-Maior do Exército, General Nunes da Fonseca, estiveram presentes no Aeródromo de Trânsito nº 1, em Figo Maduro, Lisboa, na despedida ao contingente.

Recorda-se que, como afirmou o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, na apresentação das missões das FND para 2021, a presença de militares portugueses no Afeganistão cessará em finais de Maio, uma vez que o acordo dos Estados Unidos com os talibans estipula o fim do envolvimento de militares estrangeiros no território afegão. Portugal contribui para a Resolute Support Mission desde 2015, em missões de estabilização da segurança. .