Morreram mais 155 pessoas com covid-19 em Portugal, um novo máximo diário

São mais 33 mortes do que o valor máximo anterior, 122, reportado na segunda-feira. Há mais 7259 infectados com o coronavírus SARS-CoV-2. Nos últimos dias têm sido registados números de óbitos, novos casos e internamentos em níveis nunca antes vistos em Portugal. Novo confinamento entrará em vigor na quinta-feira.

Morreram mais 155 pessoas com covid-19 em Portugal, um novo máximo diário que ultrapassa o registado no dia anterior (122 óbitos). No total, morreram 8080 pessoas com covid-19 no país desde o início da pandemia. Foram ainda detectados 7259 novos casos de infecção no último dia. 

Nos últimos sete dias, foram registadas quase 60 mil novas infecções (59.973 desde 6 de Janeiro). É quase o mesmo número de novos casos registado em seis meses, entre 2 de Março e 5 de Setembro, altura em que se contava um total de 59.943 infecções em Portugal. Quanto aos óbitos, foram registadas 794 mortes na última semana, de 6 de Janeiro de 2021 até agora. É quase o mesmo valor registado entre 16 de Março (dia da primeira morte por covid-19 em Portugal) e 22 de Abril, período durante o qual foram registadas 785 mortes.

Há mais 60 pessoas internadas (num total de 4043 internamentos) e mais 32 doentes em unidades de cuidados intensivos (num total de 599 pessoas internadas nestas unidades). O número de internamentos tem vindo a aumentar nos últimos dias e nunca houve tantos pacientes hospitalizados com covid-19 (tanto em enfermaria como em unidades de cuidados intensivos) desde que foi identificado o primeiro caso de infecção no país.

Houve 6028 pessoas que recuperaram da infecção no último dia. Ao todo, há mais de 110 mil casos de infecção activos em Portugal.

A maior parte dos novos casos foi registada na região de Lisboa e Vale do Tejo (3201 infecções), seguindo-se o Norte (2180 infecções), o Centro (1129 casos), o Alentejo (434 infecções), o Algarve (143 novos casos), os arquipélagos dos Açores (com 101 infecções) e da Madeira (com 71 casos). Das 155 mortes, 68 foram reportadas em Lisboa e Vale do Tejo; 36 no Norte; 36 no Centro; 12 no Alentejo; duas na Madeira e uma no Algarve.

Os dados foram divulgados no boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS) nesta terça-feira, mas dizem respeito à totalidade do dia de segunda-feira. Foi também nesta terça-feira que os especialistas de saúde e políticos estiveram reunidos na sede do Infarmed, em Lisboa, para debater a situação epidemiológica actual, em que são apresentados indicadores que guiam os políticos a traçar novas medidas para travar a propagação da covid-19. Com dezenas de milhares de casos positivos acumulados nos últimos dias, um novo confinamento deverá entrar em vigor nesta quinta-feira.

No encontro no Infarmed, o epidemiologista Manuel Carmo Gomes, da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, previu que nas próximas duas semanas o país chegue a 14 mil casos diários de infecção. “Temos pela frente as semanas mais difíceis da pandemia”, alertou o especialista, avisando que mesmo com o confinamento geral e o encerramento das escolas “dificilmente evitaremos os 14 mil casos daqui a duas semanas”, data em que, estima, o número de mortos com covid-19 rondará os 150 por dia (tal como aconteceu nesta terça-feira).

Na segunda-feira tinha sido divulgado o anterior máximo diário de mortes: 122 óbitos num dia e 5604 novos casos de infecção – foi a segunda-feira com mais novos casos desde o início da pandemia. Por norma, o número de novos casos tende a ser mais baixo nos dias a seguir aos fins-de-semana e feriados, por se fazerem menos testes.