HBO anuncia regresso da série Sexo e a Cidade

A série que marcou a televisão na viragem do milénio vai começar a ser produzida em Nova Iorque na Primavera.

Foto
Sarah Jessica Parker, Cynthia Nixon e Kristin Davis nos papéis que as tornaram famosas no final da década de 90 DR

Três das quatro estrelas da série Sex and the City (O Sexo e a Cidade) vão reunir-se para a produção de uma nova temporada que retrata as mesmas personagens agora já na casa dos 50, anunciou o canal televisivo por cabo HBO no domingo à noite.

Os novos dez episódios de meia hora serão transmitidos pela HBO Max e fazem renascer nos ecrãs Sarah Jessica Parker, Cynthia Nixon e Kristin Davis nos papéis que as tornaram famosas no final da década de 90.

O canal não explicou por que razão Kim Cattrall, que representava Samantha Jones, não faz parte do elenco da nova produção, mas é conhecida a rivalidade entre Kim Cattrall e Sarah Jessica Parker, que é a protagonista da série no papel de Carrie Bradshaw.Hollywood Reporter lembrava que Cattrall denunciou em 2017 a tentativa de reformulação do papel de Samantha depois de ter expresso que não estava disposta a regressar à série.

No Instagram, no domingo, Sarah Jessica Parker partilhou um teaser com a frase da nova temporada — “And Just Like That…” — a ser escrita no ecrã de um computador, repetida pela voz-off da actriz que também é a narradora da série, uma fórmula utilizada nas temporadas anteriores para introduzir as aventuras de cada episódio. Carrie Bradshaw confirmava assim que “a história continua”, enquanto Sarah Jessica Parker assinava o post publicado na rede social: “Não consigo deixar de pensar… onde é que estarão elas agora?”  

Segundo a Variety, a nova temporada, que se intitula And Just Like That…, vai começar a ser produzida em Nova Iorque na Primavera. 

“Cresci com estas personagens e não posso esperar para ver como é que as suas histórias evoluíram neste novo capítulo, com a sua honestidade, sagacidade e humor e a cidade adorada que sempre as definiu”, disse Sarah Aubrey, responsável pelo conteúdo original da HBO Max, num depoimento em que anunciava a nova série, citada pela Reuters. Recorde-se que a transição da HBO Portugal para HBO Max, com mais conteúdo e, provavlemente, um preço de subscrição mais caro, é esperada para a segunda metade de 2021.

Sexo e a Cidade arrancou na HBO em 1998 e foi-se tornando num caso sério de popularidade ao explorar a vida (sexual) das mulheres solteiras na América da viragem do milénio. A história girava em torno da vida de quatro mulheres — Carrie Bradshaw, Samantha Jones, Charlotte York (Kristin Davis) e Miranda Hobbes (Cynthia Nixon) — e é inspirada no livro Sexo e a Cidade, de Candace Bushnell, que escrevia, tal como a personagem Carrie, uma coluna sobre sexo e relacionamentos para um jornal diário de Nova Iorque.

A série original durou seis temporadas (1998-2004) e foi exibida em mais de 40 países, entre os quais Portugal. A sua continuação já foi explorada através de dois filmes: Sexo e a Cidade (2008) e Sexo e a Cidade 2 (2010), bem como por uma série de televisão encomendada pela The CW, The Carrie Diaries (2013-14), que apresentava um elenco diferente, com AnnaSophia Robb como protagonista.

Nas temporadas anteriores, a série ganhou sete Emmys e oito prémios Golden Globe. Uma dessas distinções foi atribuída a Michael Patrick King pela realização, trabalho que continuou nos dois filmes e para os quais também escreveu o argumento. Patrick King regressa agora como produtor executivo, tal com as três actrizes.

Embora os filmes tenham tido sucesso junto do público, o segundo remake foi particularmente mal recebido pela crítica, com Jorge Mourinha a escrever aqui no PÚBLICO que Sexo e a Cidade 2 não tinha "uma grama” de cinema e não passava de “um episódio desinspirado” e mais comprido da série.

O criador original da série, Darren Star, não está envolvido no regresso de 2021 e em Outubro disse ao Hollywood Reporter, quando já havia fugas sobre o possível renascimento de Sexo e a Cidade, que não se via a voltar ao passado. “Não me vejo a fazer Sexo e a Cidade hoje. Há 20 anos conhecia aquelas pessoas sobre as quais escrevia. Percebia aquele tempo, percebia as personagens e também o que precisava de ser dito.” Para ele, I May Destroy You (HBO), que relata a vida de uma escritora afro-americana que foi abusada sexualmente num bar e não se recorda de nada, é o novo Sex and The City. A mesma publicação lembrava que Sarah Jessica Parker disse numa entrevista, em 2018,​ que via a personagem de Carrie a ser “revitalizada” pelo movimento #MeToo, que começou por denunciar os abusos sexuais na indústria do cinema. "É difícil imaginar que ela não quisesse escrever sobre isso e a não ter uma opinião. Seria um território rico a explorar.”