Renzi não desarma e mantém coligação no poder em Itália sob ameaça

O primeiro-ministro italiano já ofereceu tudo o que considera aceitável para garantir o apoio do pequeno partido que integra a maioria. Aproxima-se o momento em que Renzi tem de mostrar ao que vem.

Foto
A popularidade de Giuseppe Conte chegou a 70% em Abril e tem-se mantido nos 60% desde então GIUSEPPE LAMI/EPA

Na política italiana nunca são de excluir reviravoltas e o ex-primeiro-ministro Matteo Renzi já mostrou que é capaz de assumir riscos sem estar certo do resultado. Essa variável ajuda a baralhar os cenários de saída da actual crise (a mais recente) que opõe o líder do Itália Viva ao primeiro-ministro, Giuseppe Conte. A única certeza é que muito dificilmente o duelo vai terminar em eleições, uma solução que nenhum dos partidos da coligação no poder deseja e que ofereceria o Governo de volta à direita de Matteo Salvini, à frente em todas as sondagens.