Há um museu da gentrificação em construção por Nikolai Nekh

Ficção e realidade encontram-se. O museu é imaginário, a gentrificação real, tal como a exposição Surender, Surender, na galeria Balcony, do artista português de origem russa Nikolai Nekh.

Foto
João Laia

O artista português, de origem russa, Nikolai Nekh anda a trabalhar num museu imaginário desde 2018. Deu-lhe o nome de Museu da Gentrificação, coleccionando indícios na forma de objectos que encontra na rua (estrados de camas, andaimes, cadeiras ou suportes de louça) e dos quais se serve para desenvolver novos mecanismos narrativos. “A certa altura imaginei um Museu Geológico a ser transformado num Museu da Gentrificação, no qual eram expostos os objectos despejados das casas em renovação”, conta-nos, explicitando a génese da ideia há três anos.