Os carros que 2021 nos reserva

Novo ano, nova fornada de automóveis, com a indústria a tentar sobreviver a uma pandemia ao mesmo tempo que investe em tecnologia que corte nas emissões.

electricidade,mobilidade,automoveis,motores-novidade,fugas,motores,
Fotogaleria
Audi Q4 Sportback e-tron
,BMW X4
Fotogaleria
Audi Q5 Sportback
,Carro
Fotogaleria
Audi RS3
electricidade,mobilidade,automoveis,motores-novidade,fugas,motores,
Fotogaleria
BMW i4
,Kia Ceed
Fotogaleria
Citroën C4,Citroën C4 ,
electricidade,mobilidade,automoveis,motores-novidade,fugas,motores,
Fotogaleria
Dacia Sandero
electricidade,mobilidade,automoveis,motores-novidade,fugas,motores,
Fotogaleria
DS 4
,Carro esporte
Fotogaleria
hyundai i20 N
,Hyundai Elantra
Fotogaleria
Hyundai Tucson
,Carro compacto
Fotogaleria
Honda Civic,Honda Civic ,
,Jaguar S-Type
Fotogaleria
Jaguar E-Pace
,? ? ? ? UX300e
Fotogaleria
Lexus UX 300e
,Veículo de luxo
Fotogaleria
Mercedes Classe C
,Mercedes-Benz CLK GTR
Fotogaleria
Mercedes SL
,2021 Aston Martin DBX
Fotogaleria
Nissan Qashqai
,Opel Corsa
Fotogaleria
Opel Astra
,Veículo utilitário esportivo compacto
Fotogaleria
Opel Mokka
,Peugeot 3008
Fotogaleria
Peugeot 308
,2021 Porsche Macan GTS
Fotogaleria
Porsche Macan EV
,Toyota
Fotogaleria
Toyota GR Corolla
,Plug-in híbrido
Fotogaleria
Toyota RAV4
,Volkswagen
Fotogaleria
Volkswagen ID.4

O cerco à pegada ambiental da indústria automóvel não é de hoje, mas as marcas têm vindo a adaptar-se constantemente, incluindo tecnologia capaz de, por um lado, poupar consumos, o que reduz emissões, e, por outro, reter partículas em filtros e sistemas cada vez mais eficazes. Mas não chega. E, por isso, a maioria recorre ao apoio dos motores eléctricos, alimentados por baterias de carregar na tomada, de forma a reduzir o número de emissões por quilómetro percorrido: a meta actual é de 95 g/km, mas os próximos anos exigirão uma redução ainda mais drástica.

Por tudo isto, não é de espantar que, entre as novidades que o ano que aí vem reserva, os eléctricos e as soluções térmicas electrificadas estejam em maioria. Desde os desejados compactos familiares até berlinas de luxo, sem esquecer os bem-amados SUV, são vários os lançamentos previstos para 2021 dignos de nota.

A começar pelos compactos, destaque para a nova geração do Dacia Sandero, provavelmente um dos utilitários/familiares com melhor relação entre a qualidade e o preço. Mais moderno e com trunfos reconhecidos de ordem racional, o Sandero chegará sem luxos, mas com o essencial assegurado, será o cinco lugares mais barato que se irá poder encontrar no mercado dos novos.

Já do Grupo PSA, há três novidades de peso neste segmento: Citroën C4, que será lançado com motorizações a combustão e eléctricas, que se destaca pela modernidade e pela adopção de linhas de coupé a que junta, de forma ousada, traços angulares; Peugeot 308, o único da actual gama da marca do “leão” que ainda exibia sinais da antiga linguagem de design, sendo previsível ser apresentado tanto com uma derivação eléctrica como com uma plug-in; e Opel Astra, assente nas mesmas premissas do rival 308, com o qual partilhará tecnologia e componentes, ainda que se preveja estar mais voltado para os amantes dos coupés.

Para todos estes europeus, um concorrente nipónico à altura, previsto para o final do ano: o Honda Civic vai entrar numa nova geração, a 11.ª, revista de ponta a outra.

Um rol de SUV

Quando o Nissan Qashqai foi lançado pela primeira vez, em 2007, o termo SUV pouco se usava. E o estilo não era o mais apreciado: na época as carrinhas lideravam as preferências, seguidas dos cinco portas. Mas, o Qashqai foi o arranque de todo um mundo novo, onde conforto e e uma elevada posição de condução casam com aventura, nem que esta se fique apenas pelas intenções…

E é precisamente pelo SUV compacto japonês que se inicia um rol de propostas em forma de SUV. Uma nova geração deverá ser revelada em 2021, numa tentativa de voltar a colocar o Qashqai como líder inquestionável de vendas entre os seus pares. Do que se sabe até agora, a Nissan não terá poupado esforços para reposicionar o seu SUV, sendo que deverá continuar a apostar numa política de preço reduzido.

Outros lançamentos certos incluem o Hyundai Tucson, de design marcante e com uma versão híbrida plug-in que promete uma condução extremamente emocional, ou o Lexus UX 300e, que já pudemos conduzir, e que oferece uma autonomia de mais de 300 quilómetros.

Também em modo eléctrico será servido o Porsche Macan EV, numa altura em que a insígnia alemã garante estar a trabalhar para que metade das suas vendas até 2022 sejam de um eléctrico ou de um híbrido. Do mesmo grupo, a Audi tem agendados os lançamentos do Q4 Sportback e-tron, para rivalizar com o Tesla Model Y, ou do Audi Q5 Sportback, cujo foco está no porte e no comportamento atléticos, com suspensão desportiva de série.

Também na forja está um novíssimo DS 4, que incluirá uma declinação híbrida plug-in, enquanto o Opel Mokka se mostra prontíssimo para conquistar o mercado que, em Portugal, viu fugir por conta das classes nas portagens. Agora, com esse regulamento revisto, o Mokka, poderá fazer-se valer de um portefólio mecânico amplo: gasolina, gasóleo e eléctrico.

No capítulo dos híbridos de ligar à corrente, espera-se por um novo Jaguar E-Pace, cuja actualização passará pela adopção de uma nova plataforma, ou por um Toyota RAV4, com autonomia eléctrica para mais de 70 quilómetros.

Já no caso do Volkswagen ID.4 a receita é exclusivamente eléctrica, seguindo os passos do hatchback ID.3, mas apresentando-se com um corpo mais próximo do Tiguan. A autonomia ainda não é oficial, mas deverá cumprir entre 320 e 480 quilómetros, dependendo da capacidade da bateria proposta. O mesmo será feito pela BMW, com o vindouro i4, mas neste há dois “pormaiores": a potência de 530cv, o que lhe confere características de superdesportivo, e o facto de ser proposta com tecnologia de condução autónoma de nível 3.

Na senda da potência

Se uns primam por ser, sobretudo, mais amigos do ambiente, outros mantêm-se na corrida pela potência e pelas emoções que se extraem do contacto com o asfalto. Para começar, a Audi deverá pôr cá fora a versão desportiva do A3, lançado em 2020. O Audi RS3 deverá chegar com mais de 400cv e afinações específicas que o colocam tão apto para a estrada como para as pistas.

Nos desportivos a chegarem em 2021, o i20 N está entre os mais aguardados. A actualização da gama do Hyundai i20 acaba de ser lançada, chegando aos concessionários no próximo ano, e a declinação mais potente, de 200cv, deverá seguir-lhe os passos apresentando um visual mais atrevido. E atrevimento é o que a Toyota em feito com o seu departamento Gazoo Racing. Depois do Toyota GR Yaris de tracção às quatro rodas, prevê-se que a marca nipónica recorra ao mesmo bloco de 1,6 litros e 260cv para criar um GR Corolla à medida dos condutores mais afoitos, tendo por base o bem-sucedido compacto familiar de 2019.

Noutro patamar, jogam o novo Mercedes SL, desenvolvido pela AMG, ou seja, com um topo de gama com credenciais de luxos vários, mas também de performance. Ainda na Mercedes-Benz, merece atenção o novo Classe C, com várias versões híbridas plug-in.