Chuva forte provoca inundações e obriga ao realojamento de 27 pessoas na Madeira

Chuva provocou deslizamento de terras, inundações e carros arrastados no Norte da ilha. Há “estradas transformadas em ribeiras e casas inundadas”.

Foto
Cemitério inundado Twitter

O mau tempo que está a assolar a Madeira esta sexta-feira, com maior intensidade na costa norte da ilha, provocou a destruição de uma habitação, inundações, danos materiais num número indiferenciado de viaturas e no realojamento, provisório, de 27 pessoas. As condições climáticas adversas, vento forte e precipitação elevada, não provocaram vítimas, mas cortaram estradas e deixaram uma freguesia, Ponta Delgada, isolada.

O balanço deste dia de Natal atípico foi feito ao final do dia pelo secretário regional do Equipamento e Infra-estruturas, Pedro Fino, e pelo presidente da Câmara de São Vicente, José António Garcês, o concelho mais afectado. “Aconteceram situações de algum sobressalto, com a chuva a provocar derrocadas e o transbordo de ribeiros”, disse Garcês aos jornalistas, num briefing improvisado no quartel dos Bombeiros Voluntários de São Vicente e Porto Moniz, ressalvando que o mau tempo não provocou vítimas.

“Foram realojadas por precaução 27 pessoas (20 na Ponta Delgada e sete na Boaventura), que estão em casa de familiares ou amigos”, continuou o autarca, acrescentando que algumas viaturas foram arrastadas pelas águas que invadiram as estradas, e uma habitação, de férias, ficou destruída.

Também o secretário regional destacou o facto de o mau tempo não ter provocado vítimas, explicando que o executivo madeirense mobilizou meios humanos e materiais para a zona, para reabrir rapidamente as estradas afectadas pelas derrocadas. “Continua a chover, mas vamos continuar a trabalhar para regularizar rapidamente a situação”, disse, admitindo que só neste sábado é que será possível avaliar os prejuízos. “Vamos desobstruir o que pudermos esta noite, mas não vamos conseguir terminar o trabalho.”

A região autónoma da Madeira está sob aviso amarelo para precipitação até às 3 horas de sábado (dia 26 de Dezembro) - inicialmente o aviso terminava às 12 horas desta sexta-feira - e, o director do Observatório de Meteorologia da Madeira, Victor Prior, já reconheceu que o aviso deveria ter sido mais elevado, vermelho. 

No Funchal, embora com menor intensidade, o dia foi marcado por chuva intensa, vento forte e a anormal queda de granizo.

Segundo o presidente da autarquia de São Vicente (uma das mais afectadas pela chuva forte), as 27 pessoas desalojadas foram para casa de familiares e amigos e não têm as suas habitações danificadas, já que o único imóvel que ruiu é uma casa de férias. “Há várias situações que estamos a acudir”, disse José António Garcês, adiantando que as zonas mais penalizadas são Ponta Delgada e Boaventura, onde já ocorreram transbordo de ribeiros, lamas e algumas derrocadas.

O serviço Regional de Protecção Civil (SRPC) da Madeira refere não haver “danos pessoais a registar" na sequência das chuvas fortes que têm caído, especialmente no norte da ilha. ​“[Houve] uma casa [desabitada] que ruiu devido a quantidade de água e uma dezena de moradores desalojados, uma vez que as habitações estão inundadas. Felizmente não temos feridos”, disse ao Diário de Notícias da Madeira o presidente da junta de Ponta Delgada, Miguel Freitas. 

O autarca fala numa situação “catastrófica” na zona norte da ilha. Há “estradas transformadas em ribeiras e casas inundadas”, disse. Vários ribeiros transbordaram, escreve aquele jornal regional, máquinas foram arrastadas pelas águas.

Segundo Miguel Freitas, as estradas da freguesia estão todas inundadas. Vídeos publicados nas redes sociais mostram, por exemplo, um cemitério totalmente inundado.

As más condições atmosféricas também têm estado a atingir o concelho de Santana, onde uma derrocada condicionou o trânsito entre o Arco de São Jorge e as Cabanas.

Tempo deverá melhorar esta noite

Trovoada, chuva e queda de granizo têm marcado o dia de Natal em grande parte da Madeira, exceptuando a ponta oeste da ilha. O arquipélago está esta sexta-feira sob aviso amarelo para precipitação, mas o director do Observatório de Meteorologia da Madeira, Victor Prior, adiantou à Lusa que a previsão é que durante a noite as condições comecem a melhorar.

De acordo com Victor Prior, por volta das 18h, a Estação Meteorológica registou 161 milímetros de precipitação no Porto Moniz, 115,7 milímetros no Pico do Arieiro, 90 milímetros em Santana, 76 no Pico Alto, 40 milímetros no Funchal e 39 milímetros em São Vicente. com Pedro Rios e Lusa