Kathryn Nicolai quer pôr os adultos a dormir com histórias que não são de encantar

Autora norte-americana defende um sono calmo e relaxado, mas também uma mudança de vida. Para começar, aconselha a deixar o telefone longe da cama. O sono é importante para manter o corpo e a mente saudáveis, alerta.

Foto
"Enquanto instrutora de meditação e ioga, plantei sementes de mindfulness nas histórias" Matheus Vinicius/Unsplash

Para quem gosta de ler, o livro da norte-americana Kathryn Nicolai é bastante desinteressante. Mas este não é um romance, é antes um livro para pôr o leitor a dormir. Por isso, as histórias que a professora de ioga e de meditação criou têm como objectivo deixar relaxado quem lê Quando Nada Acontece: Histórias aconchegantes que serenam a mente e ajudam a dormir

Estas são histórias para adultos e não se passam num reino encantado, mas numa cidade - existe mesmo um mapa que permite ao leitor situar-se, assim como diversas ilustrações da autoria da designer francesa Léa Le Pivert. São histórias contadas por narradores sem género propriamente definido, pode ser um homem que entra numa livraria ou uma mulher, não sabemos. Em última instância, o leitor pode pôr-se nos sapatos do narrador e usufruir dos pequenos prazeres da vida, porque é isso que vai fazendo, ao longo do livro, em cada um dos contos.

Foto
Megan Elise Crimmins

A autora, 40 anos, formada em Línguas e Literaturas, tem-se dedicado à meditação e ao ioga, por isso, não são estranhas algumas páginas com recomendações ou receitas que vão aparecendo pelo caminho do leitor que sofre de insónias ou tem dificuldade em adormecer. Ao PÚBLICO, numa entrevista feita por e-mail, Kathryn Nicolai, que tem um podcast com o mesmo nome do livro, Nothing Much Happens, rejeita o uso dos smartphones para adormecer. “Plantei sementes de mindfulness nas histórias, na esperança que influenciasse os leitores a encontrarem mais alegrias nos pequenos prazeres.”

Porquê escrever um livro para quem tem dificuldades em dormir?
Desde que me lembro que conto a mim mesma histórias para dormir, aliás é umas das minhas primeiras memórias. Eu sabia que era uma técnica que funcionava tanto para adormecer, como para voltar a dormir se acordasse a meio da noite. Eu queria partilhar com outras pessoas, uma vez que me apercebi que muitos dos meus amigos, familiares e alunos de ioga debatiam-se com insónias e ansiedade. O meu podcast foi o primeiro passo para fazer chegar a muitas pessoas, em todo o mundo, estas histórias que acalmam, mas nada se compara a ter um livro nas mãos. Eu queria que as pessoas fossem capazes de ver o mundo que eu estava a criar, que se imaginassem a andar pelas ruas ou a saborear a comida e, claro, a retirarem os seus telemóveis das suas rotinas de dormir. 

Tratam-se de histórias sem acção, sem personagens fortes ou passíveis de serem seguidas ao longo do livro. É aí que reside o segredo para pôr o leitor a dormir?
Faz parte da receita, mas não é tudo. As histórias têm de transmitir calma e serem relaxantes, mas sem serem aborrecidas. Planeio cada uma [das histórias] para que tenha um elemento de nostalgia e de familiaridade, para que seja rica em detalhes sensoriais e gire em torno de uma actividade relaxante. Isso permite que o leitor se conecte o suficiente à história para relaxar, mas sem a preocupação com “o que acontece a seguir?”.

Além das histórias, o livro também tem páginas com conselhos, receitas e instruções para meditar ou fazer ioga. Porquê?
Queria que os leitores se vissem como parte das histórias, se vissem nesses lugares calmos e a participarem nas actividades e experiências que descrevi. Assim, pode ler sobre o prato de massa comido numa noite chuvosa de Verão e de seguida cozinhar um pouco para si mesmo e viver esse momento. Também quis ajudar os leitores a terem ferramentas simples para meditação e bem-estar.

Portanto, é um livro que não se preocupa apenas com o sono do leitor, mas que quer que este mude de vida?
Penso que sim. Quando não dormimos o suficiente, tudo sofre: a nossa saúde, os nossos relacionamentos, o nosso trabalho e até a capacidade de fazer boas decisões no nosso dia-a-dia. Portanto, quando estamos descansados tudo melhora. Além disso, enquanto instrutora de meditação e ioga, plantei sementes de mindfulness nas histórias, na esperança que influenciasse os leitores a encontrarem mais alegrias nos pequenos prazeres, estarem mais presentes nos pequenos momentos dos seus dias e encontrarem mais coisas pelas quais estarem agradecidos.

Quais são os benefícios de uma boa noite de sono?
Dormir é uma parte essencial da nossa saúde física e mental. Dormir ajuda a construir um sistema imunitário forte, o que é muito importante para todos nós neste momento. A falta de sono afecta tudo, desde a pressão arterial e a saúde do coração, à memória e cognição. Não dormir o suficiente contribui para um sistema imunitário enfraquecido, problemas de saúde gerais, elevada ansiedade.

Quanto tempo deve durar uma boa noite de sono?
Não existe uma quantidade de sono certa para todas as pessoas, todos são diferentes, mas para a maioria, entre sete e nove horas é uma boa quantidade.

Em resumo, quais são as dicas para dormir bem?
Desligue o telemóvel pelo menos meia hora antes de ir dormir. Na hora de ir dormir, tire cinco minutos para escrever num diário e, assim, tirar tudo o que estiver na sua cabeça. Quando estiver pronto para dormir, respire fundo três vezes, inspirando pelo nariz e expirando pela boca. 

O que diz quem tem dificuldades de dormir e lê o livro?
Que funciona! De início, muitos leitores confessaram o seu cepticismo, mas descobriram que as histórias os ajudavam a ter uma mente mais relaxada, deixando-os desejosos de ir para a cama. Os ouvintes do podcast disseram-me que o livro excedeu as suas expectativas, que as ilustrações são tão bonitas que querem simplesmente entrar no mundo do livro e viver lá. Muitas pessoas disseram-me que compraram um livro para si e depois mais exemplares como presentes, pois todos conhecemos alguém que precisa de ajuda para dormir e lidar com a ansiedade.