Lika celebra aniversário de Back To ZerØ com uma “caixa mágica”

Um ano após o lançamento do seu álbum de estreia, Back To ZerØ, a cantora e compositora Lika relançou-o numa “caixa mágica” com múltiplos formatos. Na verdade, consoante o preço (que vai dos 10 mil aos 20 euros) a embalagem de madeira que envolve o disco pode “conter” concertos, sessões acústicas ao vivo, temas personalizados e outras experiências musicais, à escolha de quem se propuser adquiri-la. É uma forma, encontrada pela cantora, de contornar a menor procura de discos em formato físico e de chegar, em sessões ao vivo, aos admiradores do seu trabalho.

Nascida no Cazaquistão, onde aos 11 anos descobriu a sua paixão pela música (a primeira canção que tocou foi The fool on the hill, dos Beatles), estudando viola clássica durante 4 anos e criando aos 14 anos a sua primeira banda de rock só de originais, entrou depois para o Tchaikovsky Almaty Music College, participou em festivais e concursos e trabalhou como professora numa escola de jazz, ainda em Almaty. Em 2015, numa das suas viagens, descobriu Portugal, onde a desafiaram a estudar música no Hot Clube. Pensava ficar apenas uns meses, mas ficou cinco anos, até hoje. E tem sido a partir de Portugal que difunde a sua música. Lançou Back To ZerØ em 2019 e desde essa data tem apresentado as canções desse disco em vários locais e nas plataformas digitais.

No início da pandemia, foi uma das primeiras artistas a intervir ao vivo a partir de casa, logo no dia 16 de Março. Essa experiência multiplicou-se por várias, com o primeiro ao vivo no YouTube, transmitido em directo no dia 24 de Abril ou aquilo a que chamou “Musical Stereo Experience”, também no YouTube, esta feita especialmente para ouvir com auscultadores. O primeiro single e videoclipe de Back To ZerØ foi Thousand, e o mais recente foi He said, primeiro vídeo de uma colaboração com o realizador Paulo Seabra, subordinada ao mote “Made in Tramagal”.

Sugerir correcção